Polémica

por Filipa Castelão

Um jogo violento e mais uma polémica com Bolsonaro

Este jogo foi lançado a 5 de outubro e dá que falar pelo seu teor violento e mensagens políticas (pouco) subentendidas.
por Filipa Castelão

Famosas pró-Bolsonaro debaixo de fogo

As discussões políticas no Brasil não parecem ter fim à vista e não são só os candidatos presidenciais que são alvos de críticas.
por Catarina Ferreira Gonçalves

Cancro. A polémica do peditório nacional

A nova campanha de apoio a doentes oncológicos também entrou na espiral de contestação que envolve o jogador português.
por Catarina da Eira Ballestero

Viral. Modelo mostra como ficou depois do parto

Sem Photoshop, uma sueca posou em biquíni para uma capa de revista e revelou ao mundo os efeitos da gravidez no seu corpo.
por Dulce Neto

Mulheres cobram 4€ aos maridos para terem sexo

Mais de 31.000 mulheres ugandesas exigem que os homens que não contribuem para as despesas da casa paguem se quiserem ter relações sexuais.
por Marta Gonçalves Miranda

Desafio. Miúda queima-se com desodorizante

Pode ser o regresso de um jogo terrível. Uma criança de dez anos ficou com queimaduras de terceiro grau. O post da mãe tornou-se viral.
por Marta Cerqueira

O país onde se vive mais anos é europeu

O Mónaco lidera o ranking da longevidade. Como? Com dinheiro, dieta mediterrânica e pouco stresse.
por Catarina da Eira Ballestero

Babywearing. As consultoras superam os médicos?

É uma tendência no mundo da maternidade. Há cada vez mais mães a procurar estas consultoras, dispensando os médicos. Afinal, quem são?
por Ana Luísa Bernardino

"Esta rapariga destruiu a minha vida"

Uma mulher vê a sua foto, número de telemóvel, email e morada afixados nas ruas de Lisboa, acusada de destruir uma família. Tornou-se viral.
por Catarina da Eira Ballestero

Receber sangue de adolescentes para não envelhecer

Empresa norte-americana disponibiliza transfusões de sangue para combater os efeitos do envelhecimento.
por Marta Gonçalves Miranda

Hospital foi abandonado com quase tudo lá dentro

Fecharam as portas e deixaram aparelhos, monitores, máquinas, macas, muitas camas e cadeiras. Está tudo ali, sem uso, há quatro anos e meio.