Chama-se Quadrantid e é considerada uma das chuvas de meteoros mais forte de 2020. Pode ser a oportunidade não só para contemplar um momento raro, como também para ver uma estrela cadente — já que esta chuva pode produzir até cerca de 120 estrelas cadentes por hora, das quais é provável que veja 25.

Durante o mês de janeiro, a Terra passa por um fluxo de pó espacial enquanto percorre a órbita à volta do sol, o que explica a passagem pela chuva Quadrantid. Os meteoros são compostos por detritos de cometas e asteroides, que voam na atmosfera que envolve a Terra.

E como é que se origina a chuva de meteoros? “As partículas começam a desintegrar-se e a queimar, criando as faixas brilhantes de luz que vemos no céu”, explica a publicação “Inverse“.

Saturno vai perder os seus anéis muito mais rápido do que se imaginava, diz a NASA

E podemos dizer que somos uns privilegiados. É que os meteoros Quadrantid veem-se melhor no hemisfério norte do que no sul, por isso temos a sorte de poder assistir à sua passagem.

De acordo com a Organização Internacional de Meteoros (IMO), esta chuva é tão forte que geralmente são produzidas bolas de fogo brilhantes. A organização mostra ainda a evolução da passagem dos meteoros Quadrantid ao longo do tempo, de forma a que possa acompanhar o percurso e veja como vai acontecer nos próximos anos.

Comece já a preparar-se

O pico da chuva de meteoros vai acontecer na noite de 3 de janeiro e prolonga-se pela madrugada de 4 (sendo que a altura em que é mais visível é depois da meia-noite e antes do amanhecer). São apenas seis horas de chuva de meteoros, por isso apesar de o horário ser sinónimo de ter de madrugar, lembre-se de que não haverá outra chuva igual em 2020.

O primeiro passo é planear o local onde quer assistir à passagem da Quadrantid: ir para um sítio com uma visão ampla do céu e sem influência das luzes da rua.

A segunda dica é ver a chuva de meteoros a olho nu. De acordo com o “The New York Times“, os binóculos ou telescópios tendem a limitar o campo de visão, por isso o melhor é ver tudo com os seus próprios olhos. Contudo, o mesmo jornal deixa um alerta: “O luar e o clima podem obscurecer o espetáculo. Mas se isso acontecer, geralmente a NASA e a Slooh fazem transmissões ao vivo da chuva de meteoros”.