O inverno em Moscovo, na Rússia, tem sido tão quente que o governo decidiu enviar camiões com neve artificial para decorar o centro da cidade à imagem da época. Os vídeos das chegada dos camiões com neve falsa tornaram-se virais um pouco por toda a internet e foram vários os utilizadores que apontaram a ironia na compra de neve numa cidade que, anualmente, gasta milhões de euros na sua remoção durante o inverno.

“Só há esta neve em Moscovo e está a ser guardada na Praça Vermelha”, escreveu um utilizador no Instagram que mostra um monte de neve rodeado de gradeamento.

Conseguir vistos para entrar na Rússia vai ser mais fácil do que nunca

As publicações acontecem numa altura em que a região está a passar pelo inverno mais quente desde que as temperaturas começaram a ser registadas de forma sistemática e metódica há cerca de 140 anos. A 18 de dezembro, a temperatura na capital subiu 5,4 graus, batendo a temperatura mais alta alguma vez registada naquela altura do ano — em 1886.

Segundo escreve o jornal britânico “The Guardian”, citando Alexander Stanko, um cidadão russo e responsável pela implementação da neve falsa nas ruas, este não é um acontecimento que possa ser considerado normal. “Não é nada normal. Os invernos costumavam ser muito rigorosos por aqui. Seria de esperar alguns dias com geadas muito fortes e com a garantia de que na passagem de ano haveria sempre neve”, revela.

E continua: “Mas a verdade é que tem ficado cada vez mais quente. E é por isso que, como podem ver, este ano estamos a usar esta neve falsa.”

View this post on Instagram

Это весь снег, который есть в Москве. Его охраняют на Красной площади

Este é só mais um acontecimento que acentua a preocupação pelos efeitos do aquecimento global em todo o mundo e, neste caso, particularmente na Rússia. É que o clima quente de dezembro interrompeu o processo de hibernação no jardim zoológico de Moscovo — fazendo com que lilases e magnólias, plantadas no jardim da Universidade Estadual de Moscovo, florescessem mais cedo.

Ainda segundo a mesma publicação, os responsáveis pelo jardim zoológico revelaram que colocaram cinco jerboas — um tipo de roedor com longas patas traseiras — para encorajar as restantes espécies a hibernar.