A imprensa internacional está a avançar que o ator Zac Efron terá sido internado em estado “grave” depois de ter contraído uma infeção durante as gravações do seu novo documentário intitulado “Killing Zac Efron”, que ainda não tem data de estreia anunciada.

Segundo escreve o tabloide britânico “Daily Mail”, o ator encontrava-se em Papua Nova Guiné a filmar o novo documentário quando se sentiu mal, o que obrigou a que fosse levado de avião para Brisbane, na Austrália, para que fosse visto pelas equipas médicas que o seguiram durante a viagem.

No entanto, sabe-se agora, o voo de Papua Nova Guiné para Austrália foi de alto risco e o ator esteve mesmo em risco de vida depois de ter contraído uma infeção decorrente de um caso de febre tifoide.

Está toda a gente a falar do rabo de Zac Efron no novo filme sobre Ted Bundy

O jornal “The Sunday Telegraph” terá chegado à fala com Glenn McCkay, diretor da equipa de salvamento médico que acompanhou Zac Efron, que se recusou a confirmar se o doente que tinha sido transferido de Papua Nova Guiné para Austrália se tratava ou não de Zac Efron.

Apesar disso, o médico confirmou que a sua equipa tinha “salvo um cidadão americano de cerca de 30 anos e que este terá voado de Papua Nova Guiné para Austrália para ser acompanhado” por uma equipa médica no hospital.

Embora o internamento ainda não tenha sido confirmado pelos agentes ou pela família de Zac Efron, sabe-se que o ator já não está no país onde tinha decidido gravar o seu documentário e que se encontra agora nos Estados Unidos da América e que o seu estado de saúde é estável.