Foi com um detetor de metais que David Hole, residente em Maryborough, Victoria, na Austrália, partiu à procura de algo que nem ele sabia o que seria. Acabou por descobrir no parque Maryborough, perto de Melbourne, uma rocha muito pesada e com um tom avermelhado.

Levou-a e tentou abri-la na esperança de encontrar ouro, algo muito característico naquela região. Tentou de tudo: uma serra, uma rebarbadora, uma broca, até ácido. Nenhum destes métodos foi eficaz o suficiente para partir a rocha.

De acordo com o site “Science Alert“, Hole decidiu entregar a rocha ao Museu de Melbourne Dermot para que pudessem ajudá-lo a identificar de que se tratava. Foi Henry, o geólogo do museu, quem recebeu a rocha e revelou ao jornal ” The Sydney Morning Herald” que em 37 anos passam-lhe muitas rochas pelas mãos e apenas em dois casos eram meteoritos — este foi um deles.

Christie’s vai leiloar meteorito em forma de coração que caiu na terra em 1947

Os investigadores do museu acabaram por analisar e descrever que este meteorito tinha 4,6 mil milhões de anos, 17 quilos e deram-lhe um nome: Maryborough, por ter sido neste parque que foi encontrado.

“Os meteoritos são a forma mais barata de exploração espacial. Transportam-nos no tempo, dando pistas sobre a idade, a formação e a química do nosso sistema solar (incluindo a Terra)”, explica Henry.

Além destes dados, os meteoritos podem ainda revelar informações sobre o interior do nosso planeta e, em alguns casos, sobre a forma como as estrelas se formam e evoluem.

“Este meteorito em particular provavelmente saiu do cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter, e foi empurrado de lá ao colidir com outros. Houve um dia em que colidiu com a Terra”, revela Henry sobre as suas suspeitas relativamente à forma como o meteorito chegou até ao parque na Austrália.

Os investigadores estimam que esse dia tenha acontecido entre 1889 e 1951, época em que foram avistados vários meteoritos. E o que é que torna este mais especial do que outros que já foram descobertos?

Além de ser mais valioso do que o ouro que David Hole procurava, faz parte dos apenas 17 registados no estado de Victoria e é o segundo maior meteorito, depois de um outro descoberto em 2003, que pesava 55 quilos.