Na madrugada desta terça-feira, 17 de dezembro, Milena Benfica partilhou no Instagram um vídeo, em que se encontrava fechada numa casa de banho, num hotel em Orlando, na Flórida, onde o casal se encontrava numas férias de 12 dias com as duas filhas para visitar os parques temáticos da Disney. Além de relatar a agressão de que tinha acabado de ser vítima (com vestígios do episódio violento no rosto), a mulher do guarda-redes Jean, do São Paulo, pedia socorro.

“Eu estou aqui em Orlando e olha o que Jean acabou de fazer comigo. Jean acabou de me bater! Ai, meu Deus”, diz.  “Gente, socorro. Minha mãe, calma, eu estou bem. Mas olha para isso, gente. Jean, goleiro do São Paulo, olha o que ele fez comigo, eu quero justiça”, continua.

A dado momento, ouve-se uma voz masculina do outro lado da porta. “Você vai fazer isso com sua filha?”, questiona. Milena continua: “Eu quero justiça. Olha o que ele está fazendo comigo, ele está falando aqui na porta, eu estou trancada no banheiro e olha o que ele fez comigo.”

Após ter feito a publicação (que foi altamente partilhada nas redes sociais), a mulher recebeu uma mensagem do marido: “Parabéns, terminou com a minha carreira. Suas filhas vão passar fome”, relata o brasileiro “G1“.

A polícia chegou então ao local e foram levados pelos seguranças da unidade ao quarto em que ocorreu a agressão. Jean não terá cooperado com as autoridades, que acabaram por levá-lo algemado, relatou o xerife, refere a mesma notícia. 

Milena Benfica prestou depoimento e relatou a história toda: o casal discutiu e o guarda-redes terá atirado a mulher para a cama, dando-lhe três murros na cara. A brasileira tentou defender-se, arremessando para a cabeça de Jean uma chapa para o cabelo, que acabou por partir-se. Voltou a atirar o objeto, desta vez para a perna do homem, tendo-lhe provocado um corte. Quando ela tentou sair do quarto, ele terá agarrado Milena e arrastado a mulher pelos cabelos até à casa de banho, dando-he mais cinco murros.

Do vídeo das agressões à primeira entrevista. Tudo sobre a polémica entre Neymar e a modelo que o acusa de violação

O relato das duas crianças que estavam presentes no local vão ao encontro da história da mãe. Milena recebeu atendimento médico no hospital (as agressões da sua parte foram consideradas autodefesa), tal como Jean, que acabou por ser preso por violência doméstica. O homem não quis, segundo o mesmo xerife, contactar o consulado brasileiro na Flórida. 

No dia seguinte, quarta-feira, 18, Milena voltou a fazer uma publicação nas redes sociais: “Eu estou em outro lugar, já passou. Eu estou com as meninas e está tudo bem.”

O clube São Paulo já rescindiu contrato com o jogador. Apesar de ter feito a denúncia da agressão, Milena preferiu não apresentar queixa. Ainda assim, de acordo com a lei brasileira Maria da Penha, pensada para casos de violência doméstica, o Ministério Público poderá avançar com uma denúncia formal. Ainda não se sabe se o jogador irá responder pelo crime nos Estados Unidos ou no Brasil.