Greta Thunberg envolveu-se numa polémica online com a Deutsche Bahn, uma companhia de comboios alemã, depois de ter partilhado no Twitter uma fotografia sentada no chão da carruagem, captada antes de lhe ser oferecido um lugar em primeira classe.

Na legenda, a ativista sueca de 16 anos escreveu: “Viajando em comboios sobrelotados pela Alemanha. E finalmente a caminho de casa!”.

Em resposta ao tweet, a empresa escreveu na mesma rede social, em tom sarcástico: “Cara Greta, obrigada por apoiar os trabalhadores da ferroviária na luta contra as mudanças climáticas! Ficamos satisfeitos por estar no ICE 74 connosco este sábado. E com 100% de eletricidade verde.”

Logo abaixo, acrescentou: “Também teria sido simpático se tivesse reportado a forma amigável e competente com que foi tratada pela nossa equipa no seu lugar em primeira classe.”

Thunberg não demorou muito a responder. “O nosso comboio em Basileia foi retirado de circulação. Sentámo-nos no chão em dois comboios diferentes. Depois de Göttingen, consegui um lugar. Isto não é um problema, é claro, e eu nunca disse que era.”

A ativista, fundadora do movimento estudantil Fridays for Future, rematou: “Os comboios sobrelotados são um ótimo sinal, porque significa que a procura por viagens é alta”.

Ainda assim, a Deutsche Bahn enviou um comunicado para os jornalistas a explicar que Greta Thunberg, e aqueles que viajavam consigo, “estiveram sentados em primeira classe de Frankfurt em diante” e que, por isso, puderam usufruir de várias regalias, desde wi-fi, a jornais, comida e bebidas de cortesia gratuitos, diz a revista “Labible“.