O Palácio de Buckingham, em Londres, está a recrutar. A rainha Isabel II está à procura de um gestor de redes sociais com o objetivo de nunca parar a comunicação da família real “e encontrar novas maneiras de manter a presença da rainha no olhar do público e no palco do mundo”.

O anúncio foi posto online esta quinta-feira, 12 de dezembro, através do LinkedIn, a plataforma de networking e procura de trabalho, e já há mais de 70 candidatos. As inscrições para entrevistas estão abertas a candidatos que, atualmente, vivam foram do Reino Unido.

“O papel da comunicação real é manter um contacto com uma audiência mundial. Ao juntar-se a esta equipa dinâmica, o desafio será liderar e desenvolver a nossa estratégia de comunicação digital, garantindo que fazemos o uso efetivo de uma gama de plataformas digitais para concretizar esse objetivo”, pode ler-se na descrição de oferta de trabalho.

Príncipe André promete vingar-se e contar tudo sobre a morte de Diana

“Quer esteja a cobrir uma visita de Estado, uma cerimónia de entrega de prémios ou qualquer outro assunto da realeza, deverá ser o seu principal objetivo garantir que os nosso canais digitais estão constantemente a gerar interesse e a atingir uma audiência muito vasta”, esclarece o anúncio.

O salário estabelecido ronda entre 53 e 59 mil euros por ano, variável consoante a experiência do candidato selecionado, e com um horário de 37 horas semanais de segunda a sexta-feira. As candidaturas estão abertas até 24 de dezembro, véspera de Natal.

A procura por um gestor de redes sociais surge numa altura em que a família real britânica lida com as notícias que dão conta das ligações do príncipe André, filho de Isabel II, com Jeffrey Epstein — o predador sexual que foi acusado de tráfico sexual e que morreu na prisão em agosto.