Rain Dove, um modelo não binário (ou seja, cuja identidade de género não é inteiramente masculina ou feminina), é sempre educado e amável em resposta a várias mensagens que vai recebendo no Instagram — mesmo quando o conteúdo é ofensivo e até violento. Além de usar humor na forma como lida com este tipo de comunicação mais agressiva, o modelo interessa-se em saber como é que as pessoas do outro lado estão e como é que lhes corre o dia, independentemente de estar a ser ofendido.

Há um propósito educativo: Dove acha que responder com compaixão e de forma educada é uma maneira de fazer os outros analisarem as sua atitudes e julgamento precipitado, fazendo-as refletir sobre vários preconceitos.

O poema incrível da criança com dislexia que se pode ler do início para o fim ou vice-versa

Foi isso que aconteceu numa conversa, publicada no “Bored Panda“: o modelo recebeu uma mensagem violenta de uma mãe, altamente perturbada pelo facto de a filha Sammy lhe ter pedido uma peça de roupa que serve para achatar o peito. “A minha criança está doente por causa de ti”, começou o educador por escrever. “Ó não! Peguei-lhe a gripe?”, brincou o modelo. “Não, problemas mentais. Ela quer ser um rapaz”, explicou a mãe. “Ele disse-te isso?”, perguntou.

A conversa seguiu com mais violência: “A minha filha odeia o seu corpo por causa de pervertidos como tu”, escreveu a mãe da criança. O modelo mostrou-se compreensivo face à revolta — explicou-lhe o que é que representava a faixa que a filha queria usar e explicou-lhe o quão importante é o apoio dos pais na batalha entre uma pessoa e o seu próprio corpo.

“Ela pode não querer identificar como masculino — muitas pessoas usam faixas e mesmo assim identificam-se como mulheres ou pessoas sem género”, explica Dove. “Estar a perder o seu tempo a falar comigo só mostra que se importa muito com a felicidade da sua filha”, disse mais à frente.

A dado momento, a mãe pergunta: “Porque é que ela haveria de fazer isto com ela própria?”. A resposta do modelo é decisiva para a aceitação da educadora.

“É confuso para as pessoas e é até doloroso de testemunhar, mas afastarmo-nos das pessoas quando elas estão a expressar verdades vulneráveis sobre elas próprias poderá levar a danos pessoais e até a contextos de suicídio. Prefere ter o seu filho na sua vida ou fora dela para sempre? Um pequeno pedaço de tecido medicamente aprovado pode literalmente salvar-lhe sua vida. E esta é uma que você claramente adora e com que preocupa.

Esta mãe, que começou por rejeitar absolutamente a vontade da filha, acabou por conversar com abertamente com ela e mostrou-se disponível para falar sobre tudo o que fosse preciso. No final, pediu conselhos ao modelo para saber qual é que seria a marca mais segura para que a filha tivesse, finalmente, e peça que permite achatar o peito. 

Leia a conversa completa.

14 fotos