Entre 180 países, as mulheres de várias nacionalidades foram questionadas sobre o que é que procuram num homem. Podíamos pensar que todas as respostas seriam um cliché, valorizando principalmente aspetos como bondade, vontade ou não de ter filhos, um emprego estável, entre outras.

Apesar de serem importantes, não têm o mesmo peso para todas as mulheres — ou não fazem de todo parte daquilo que procuram num homem. Foi isso mesmo que constatou o estudo realizado pela Clue — uma aplicação que consiste num calendário menstrual onde as mulheres apontam todos os seus ciclos menstruais — e a Universidade de Göttingen, na Alemanha.

O estudo sobre o parceiro ideal, publicado a 10 de novembro pela plataforma “Hello Clue“, analisou os traços físicos e emocionais que as mulheres valorizam num potencial parceiro.

Para acabar com a curiosidade, começamos pelas qualidades que as mulheres procuram. Afinal o que importa mais num homem? O estudo aponta que a maioria das 68 mil mulheres entrevistadas dá mais importância ao carinho (88,9%), seguido do apoio (86,5%). Em último lugar, mas ainda com uma percentagem acima da média, ficou a confiança, com 60,2%.

Uma das autoras do estudo, Virginia J. Vitzthum, diretora de pesquisa científica do Clue, refere que este resultado é até surpreendente: “O carinho é como a gravidade, essencial mas pouco notado até desaparecer. Tendo em conta a atual relevância da aparência e da riqueza, pode ser surpreendente que o carinho seja um aspeto desejável em todo o mundo”.

Parece que neste estudo a aparência fica de fora e na lista das qualidades, as mais relevantes para as mulheres são sobretudo as emocionais — não faltando também a inteligência e a formação.

Estes últimos parâmetros acabaram por se revelar importantes para três nacionalidades em específico: para as mulheres colombianas (82%), mexicanas (80,8%) e brasileiras (80,7%), o que significa que nestes três países elas procuram um homem que tenha uma boa educação, o que pode representar a procura de um parceiro com bons valores e que consiga alcançar melhores oportunidades financeiras.

Há cada vez mais mulheres a serem agredidas durante relações de sexo consensual

Até porque a estabilidade económica é também um dos fatores relevantes para as mulheres colombianas e mexicanas, mas não só: as japonesas (66,7%) lideram o ranking sobre a estabilidade económica num parceiro.

Já quanto a ter filhos, este fator não conseguiu uma maioria, mas esteve perto. 46% das mulheres de todas as orientações sexuais disseram que o desejo de ter filhos era algo importante para estabelecer uma relação a longo prazo.

Onde é que os valores e a religião se encaixam no perfil que as mulheres procuram?

Uma das perguntas do estudo dizia respeito à similaridade étnica ou religiosa. Sobre a etnia, mais de metade, 54,1%, disseram que não era algo importante e 35% mostraram não dar importância à religião.

Há quem não acredite em Deus, mas acredite e defenda diferentes partidos. Por isso, a afiliação política foi outros dos parâmetros analisados no estudo. O Brasil (44,2%) e os Estados Unidos (43,6%) são os países onde as mulheres dão importância à ligação política do parceiro, ao contrário das mexicanas (17,1%) e das russas (15,5%).

As características físicas também entram no estudo

O mais importante? O sorriso. Esse não pode falhar no parceiro que muitas mulheres procuram. Depois desse estão os olhos.

Mas aqui a procura difere de acordo com a orientação sexual: muitas mulheres heterossexuais procuram um pénis de tamanho razoável, cabelo curto, mãos grandes, costas atraentes, braços musculosos e barba.

Já as mulheres que se identificaram como lésbicas procuram seios e nádegas de tamanho razoável, costas atraentes e cabelo comprido, cuja sequência corresponde à importância dada.