Nos últimos dias o Duque de York, filho da rainha Isabel II, tem dado que falar na imprensa internacional. Tudo depois de dar uma entrevista à “BBC 2“, onde falou sobre a polémica amizade com Jeffrey Epstein, que foi acusado de agressão e tráfico sexual e condenado à prisão em 2008. 

“O problema foi que depois de ele ter sido condenado, eu fiquei com ele. Essa é a parte que me persegue todos os dias porque não era algo esperado para um membro da realeza”, explica.

Príncipe André fala sobre a polémica de Jeffrey Epstein e admite ter desiludido a coroa britânica

É que as declarações que o Duque de York fez na entrevista, defendendo-se de qualquer envolvimento ou conhecimento das práticas do amigo, chocam com as informações que têm sido divulgadas.

Uma delas está relacionada com o facto de ter dito que não é de abraçar as mulheres ou de ir a festas, mas passado apenas dois dias, a 18 de novembro, foram divulgadas várias imagens pelo “Daily Mail“, onde o príncipe aparece ao lado de jovens mulheres numa festa em julho de 2007, em Saint-Tropez.

Fotografias mostram príncipe André agarrado a várias mulheres em festas

Por causa de todas as informações e fotografias polémicas, o projeto criado pelo Duque de York, [email protected] — que tem como objetivo apoiar empreendedores e acelerar as suas ideias de negócios — vai sair do Palácio de Buckingham. 

A esta saída, junta-se o corte do financiamento do banco Barclays para o projeto, bem como dos principais patrocinadores de negócios: KPMG, Standard Chartered e Inmarsat, uma empresa britânica de telecomunicações por satélite.

A decisão foi tomada pelo próprio Duque, horas depois de um passeio a cavalo no Windsor Great Park, no Castelo de Windsor, com a rainha Isabel II, durante o qual recebeu alguns conselhos da mãe. De acordo com o jornal “The Daily Mail“, foi a primeira vez que mãe e filho se reuniram desde que ela lhe pediu que deixasse as funções públicas.

Príncipe André num passeio a cavalo com a rainha Isabel II

Ben Cawthra/Sipa USA

De acordo com o jornal “The Telegraph“, os diretores do [email protected] estavam a tentar arranjar um substituto sénior da família real que aceitasse o cargo do Duque de York, mas até ao momento nada apareceu.

“A grande decisão em relação ao Duke foi tomada. Agora é hora de todos respirarem antes de nos concentrarmos nos detalhes de como como devemos proceder”, disse uma fonte do [email protected] ao mesmo jornal.

Contudo, o Duque de York continua a ser proprietário do projeto, do qual é controlador “significativo”, de acordo com a Companies House, uma agência do governo que regista as empresas do Reino Unido.

O papel do príncipe não ficou apenas reduzido no [email protected], como também no Ballet Nacional Inglês, onde era diretor — cargo que renunciou.

De acordo com o “The Daily Mail”, o príncipe André, além de perder o projeto que fundou no Palácio de Buckingham, pode ficar também sem o seu escritório, financiado pela rainha, já que não vai continuar a trabalhar na realeza. 

Ao mesmo jornal britânico, duas fontes disseram que na noite desta sexta-feira, 22 de novembro, a equipa que trabalhava no Pitch e no IDEA — um projeto nacional que ajuda jovens a desenvolverem habilidades digitais, empresariais e de empregabilidade — estavam a mudar-se, embora uma das fontes afirme que a mudança resulta do rápido crescimento dos projetos.

O [email protected] vai passar a designar-se apenas como Pitch, e vai ser administrado por Amanda Thirsk, ex-secretária do Duque de York, que foi afastada do cargo para ser chefe executiva do projeto, de acordo o “The Daily Telegraph“.

“O duque vai continuar a trabalhar no Pitch e vai analisar como é que leva isso adiante fora de seus deveres públicos e fora do Palácio de Buckingham. Reconhecemos que haverá um período de tempo enquanto essa transição ocorrer”, disse um porta-voz do Palácio de Buckingham em declarações ao “The Daily Mail”.