Quando vamos para um hotel contamos já com os frasquinhos de champô, gel de banho e creme de corpo que, se não usarmos no dia, levamos para a casa, a fazer crescer a gaveta das amostras grátis. Mas é melhor preparar-se para uma outra realidade.

É que aquelas embalagens de plástico vão deixar de estar à disposição dos hóspedes, pelo menos na forma a que estamos habituados.

O mais recente grupo a aderir a esta medida foi a cadeia de hotéis Hyatt, tal como divulgou esta terça-feira, 12 de novembro, de acordo com o site americano “Business Insider“. As pequenas embalagens vão dar lugar a embalagens maiores e mais ecológicas que vão chegar aos 200 mil quartos do grupo até 2021.

“A poluição de plástico é uma questão global e esperamos que os nossos esforços motivem os hóspedes, os clientes e até a nós mesmos a pensar mais criticamente sobre o uso do plástico”, disse o presidente e CEO da Hyatt, Mark Hoplamazian, no comunicado de imprensa divulgado pelo mesmo site.

A iniciativa mais sustentável abrange não só o momento de higiene, como também o de refeição, já que a cadeia de hotéis pretende apostar também em alimentos mais sustentáveis. 

Há um novo hostel na Ericeira — tem piscina, aulas de surf e yoga no terraço

A medida surge numa altura em que a consciência sobre as alterações começa a aumentar, razão pela qual o conceito de viagem acaba também por acompanhar essa mudança. “(…) Como o hóspede ‘típico’ de hotel passou de um boomer para um millennial, a preocupação com o meio ambiente é hoje uma das necessidades no top 10 de uma estadia num hotel”, disse ao “The Washington Post” Chekitan Dev, professor de marketing e branding na Escola de Administração de Hotéis da Universidade de Cornell.

A cadeia de hotéis Hyatt não é a primeira a fazer esta mudança. Em julho o grupo InterContinental — do qual faz parte os hotéis Holiday Inn e Kimpton brands — anunciou que também mudaria das pequenas embalagens para umas maiores, de forma a reduzir a utilização de plástico em cerca de 200 milhões de garrafas por ano.

Logo de seguida, e com a mesma intenção, o Marriott International, que tem 7 mil hotéis, pretende reduzir cerca de 500 milhões de garrafas de plástico com produtos de higiene por ano, de acordo com o “The Washington Post”.

Além da vertente ambiental, esta é uma medida que entra em vigor também pela poupança que acarreta, já que os hotéis investem menos dinheiro ao substituir as pequenas embalagens pelas de maior dimensão. No caso do Marriott International, estima-se que uma poupança de 2 milhões de euros em plástico.