Veneza acordou esta manhã, 14 de novembro, praticamente debaixo de água. As inundações atingiram níveis recorde — 1,94 metros —, que já não eram tão elevados desde 1966. As últimas 48 horas têm sido devastadoras para a cidade italiana, uma vez que os monumentos, casas e comércio estão a ficar praticamente destruídos.

A ilha ainda está completamente inundada, avança o “La Repubblica“. Duas pessoas morreram: um idoso terá sido eletrocutado quando a água entrou na casa e provocou um curto-circuito, enquanto outro foi encontrado morto em casa — embora se suspeite que tenha morrido de causas naturais.

Os estragos já estão avaliados em centenas de milhões de euros e o presidente da câmara, Luigi Brugnaro, disse: “Veneza está de joelhos”. É a maior inundação dos últimos 50 anos. “Estes são efeitos das alterações climáticas”, escreveu Luigi no Twitter, afirmando que há meios de comunicação e políticos que se recusam a ver a relação entre ambos os eventos.

Os 10 destinos de férias mais populares no Instagram

Veneza pode já estar habituada às inundações, as chamadas acqua alta — acontecem desde o aparecimento da cidade, composta por 118 ilhas conectadas por pontes — mas desta vez a inundação atingiu valores recorde e tornou-se já na segunda maior inundação da história da cidade.

O aumento do nível médio da água do mar e temperaturas extremas podem ser fatais para uma cidade como Veneza, apesar dos seus mais de 1.500 anos de história. 

“Acqua alta sempre foi normal”, afirma Lorenzo Bonometto, formado em ecologia das lagoas, ao “The New York Times“. Mas a combinação de ventos fortes e maré alta fez com que esta tempestade fosse um “evento excecional”.

O governo italiano tem estado à espera que seja implementado um sistema debaixo de água, chamado de “Moisés”, que prevenirá futuras inundações. No entanto, o polémico projeto tem a oposição dos ambientalistas que estão preocupados com os danos no ecossistema da lagoa — e garantem que este sistema não será suficiente para combater sozinho a subida do nível médio da água do mar. O projeto foi adiado devido aos custos excessivos e escândalos de corrupção.

Londres por 245€ e mais 8 destinos incríveis para a passagem de ano

As fotos de Veneza estão a tornar-se virais. A cidade é um icónico de riqueza — as suas praças, palácios, canais, conhecidos em todo o mundo, são símbolos de conquista e prosperidade. Vê-los vulneráveis às alterações climáticas e aos fenómenos ambientais, que não têm previsão de diminuir, é mostrar ao mundo o que estamos a permitir que aconteça. 

“Agora o governo vai ouvir. O custo vai ser elevado porque o nível da água vai voltar a subir nos próximos dias”, diz o presidente da câmara. Veja as imagens que estão a ser divulgadas na internet.

9 fotos