Se nas gavetas da cozinha tiver colheres e espátulas de plástico, é melhor que esteja consciente do perigo que podem representar. Um estudo divulgado pela organização Food Packaging Forum a 19 de setembro revela que estes utensílios podem produzir toxinas perigosas para o fígado e para a tiroide quando sujeitas a altas temperaturas — acima dos 70º C.

A investigação foi realizada pelo Instituto Federal Alemão para Avaliação de Riscos (BfR), que descobriu que utensílios de cozinha feitos de plástico têm uma substância perigosa (o oligómero, que é um composto químico usados na produção de plástico) que, ao entrar em contacto com altas temperaturas, passa para os alimentos e, consequentemente, acabamos por o ingerir.

Tenha atenção ao que bebe: as saquetas de chá podem libertar microplásticos

O instituto estudou os oligómeros a partir de duas moléculas diferentes muito usadas na fabricação de utensílios de cozinha.

Ora, sabemos que não é saudável ingerir químicos — quando mais naturais forem os alimentos, melhor — por isso é de prever que a ingestão destas substâncias não seja benéfica. Neste caso, quando os compostos são consumidos em grandes quantidades, pode resultar em doenças no fígado e na tiroide, de acordo com o estudo. Estas são as principais doenças, mas a investigação revela ainda mais riscos: infertilidade, cancro e colesterol alto.

Este não é o primeiro estudo sobre este composto químico realizado pela BfR. Um outro, divulgado em 2017, explicou que a quantidade desta substância perigosa que passa para os alimentos que ingerimos é muito maior do que aquilo que se pensava anteriormente. Por dia, um adulto é capaz de ingerir o equivalente um quilo de alimentos contaminados com oligómeros, de acordo com o Regulamento Europeu de Plásticos.

A mais recente investigação aprofunda o tema e, além de mostrar o impacto que estas substância têm na saúde, conclui que em 70% dos utensílios de cozinha estudados, a contaminação de oligómeros nos alimentos é menor do que cinco miligramas por quilo, o que significa que em 30% desses utensílios a libertação do composto químico é superior a cinco miligramas por quilo.

O que é que as percentagens representam?

Num adulto cujo peso é de 60 quilos, a ingestão de 90 microgramas de oligómeros já é motivo de preocupação, uma vez que pode originar os tais problemas relacionados com a tiroide e com o fígado.

Os efeitos já são conhecidos, mas resta saber como prevenir. Os especialistas aconselham que os fabricantes analisem que quantidade desta substância está presente nos utensílios que fabricam, de forma a perceber qual o risco a que as pessoas estão sujeitas quando consumem os alimentos confecionados com aqueles materiais. 

Os especialistas deixam ainda o alerta quanto à forma como as pessoas cozinham. Por isso, quando fizer um bolo e utilizar uma colher de plástico para mexer a calda para a cobertura, deve ter em atenção se esta está em contacto com altas temperaturas.