Dickie Arbiter, o ex-secretário da rainha de Inglaterra, criticou a série britânica “The Crown“, na sequência de a nova temporada sugerir que a monarca, interpretada pela atriz Olivia Colman, teve um caso extra-conjugal com Lord Porchester, o seu gerente de corridas de cavalo.

“Isto é muito desagradável e totalmente infundado”, disse o ex-secretário ao inglês “The Times“. “A rainha é a última pessoa no mundo a pensar em olhar para outro homem.”

De acordo com Arbiter, este boato não é novo. “É uma fofoca que vem a circular há décadas. Não tem substância absolutamente nenhuma.”

Na série produzida pela Netflix, a rainha Isabel II na pele de Colman, mostra um relacionamento muito próximo com o gerente de corridas de cavalo, a quem chama de Porchie, explica o jornal inglês “The Independent“.

Num dos episódios, os dois visitam e passeiam por quintas em França e na América. O príncipe Filipe, interpretado por Tobias Menzies, suspeita do romance e chega a interrogar a rainha acerca do alegado caso, no momento em que esta regressa ao Palácio de Buckingham. Ao que ela responde: “Se tem alguma coisa para me dizer, diga agora. Caso contrário, se não se importe, estou ocupada.”

Lord Porchester foi próximo de Isabel II até ao dia da sua morte, em 2001. Nunca houve confirmação sobre o caso romântico. Mas há preocupações face às repercussões do enredo da série, escrita por Peter Morgan, uma vez que se crê que possa levar os espetadores a entenderem estes acontecimentos como reais.

“A coroa é ficção. Ninguém conhece nenhuma conversa entre membros da família real, mas as pessoas contam a história que desejam e a sensacionalizam”, acrescentou Arbiter.

A terceira temporada de “The Crown” chega à Netflix já no próximo domingo, 17 de novembro.