Web Summit

Esta startup vai mudar a minha vida. A Netflix das viagens que o quer pôr a percorrer a Europa

Com a BeRightBack só precisa de pagar uma subscrição de 50€ mensais e tem direito a três viagens por ano. Eles tratam de tudo: voo, hotel e possíveis eventos.

i

Gregory Geny e Alexander Tomlinson fizeram o pitch à MAGG e garantem ser uma startup diferenciadora no mercado

Samuel Costa/MAGG

Gregory Geny e Alexander Tomlinson fizeram o pitch à MAGG e garantem ser uma startup diferenciadora no mercado

Samuel Costa/MAGG

A MAGG está na Web Summit, a maior conferência de empreendedorismo e tecnologia na Europa, e ao longo dos quatro dias do evento, vai procurar ideias e startups que se apresentam no Parque das Nações, em Lisboa, com a promessa de mudar as nossas vidas num futuro próximo. É o caso da BeRightBack, uma startup britânica recém-lançada no mercado que se apresenta como a Netflix das viagens e que quer pôr pessoas a viajar cada vez mais e a pagar pouco.

É que no momento de planear uma viagem, não é só ao destino que deve prestar atenção. Há toda uma logística envolvida que vai desde escolher o sítio onde vai dormir, aos transportes que vai precisar de usar e os pontos turísticos que não deve perder. A isso junta-se a preocupação de poder ou não estar a perder algum evento interessante durante a estadia.

Esta startup vai mudar a minha vida. E se nunca mais tivesse de enviar um currículo?

Foi a pensar em todas essas variantes que Gregory Geny e Alexander Tomlinson criaram este novo serviço que apresentam agora na nova edição da Web Summit. O objetivo é o mesmo de todos os jovens empreendedores nesta conferência: aliciar investidores e novos utilizadores a um serviço emergente.

Em conversa com a MAGG, dizem que querem mudar a forma como os millennials viajam. E nada melhor do que o fazer através de uma viagem surpresa de cada vez.

Confuso? Alexander Tomlinson, co-fundador e CTO da empresa, explica como o mesmo entusiasmo que teria se estivesse no palco da Web Summit perante uma plateia repleta de investidores: “Juntamos a componente das viagens surpresa com uma componente de subscrição. Isto significa que os nossos clientes nos pagam um valor fixo mensal e têm direito a fazer uma viagem a cada quatro meses, o que equivale a três viagens por ano.”

O método de funcionamento não podia ser mais simples. Uma vez registado na plataforma oficial da empresa, o passo seguinte é contar um bocadinho sobre si e deixar que os especialistas da BeRightBack façam a curadoria das viagens e tratem de tudo por si — é que esta subscrição inclui viagem e estadia.

“A única coisa que pedimos é que os nossos utilizadores se apresentem e escrevam o máximo sobre eles e as preferências que têm em relação às viagens que gostariam de fazer. Isto implica também dizerem-nos onde não gostariam de ir, para que possamos excluir esses destinos da nossa curadoria”, conta.

Web Summit. Qual é a app mais cool que tem no seu telemóvel?

A única coisa com que se tem de preocupar é a escolha das datas e o aeroporto de onde pretender voar. Depois de fazer saber as suas preferências e disponibilidade para pôr a mala às costas, a empresa encontra-lhe os melhores hotéis e os melhores voos para chegar ao seu destino aleatório.

A surpresa é desvendada um mês antes da data do voo e, também aí, a BeRightBack procura ser original e próxima dos utilizadores que se propõe servir. “Um mês antes enviamos um postal com a imagem da cidade [sempre dentro da Europa] e indicamos na parte detrás do documento toda a informação importante para que o voo e a experiência decorra da melhor maneira,” explica Alexander.

Mas também há um guia online associado ao perfil de cada viajante e que pode ser consultado sempre que necessário. Quando questionado pela MAGG sobre de que forma é que esta empresa se diferencia da oferta disponível no mercado, Alexander não vacilou: “Embora já existam empresas de viagens surpresa ou de subscrições para viajantes, nós agimos de forma muito diferente ao retirar todo o esforço da gestão do processo. A única coisa que a pessoa é obrigada a fazer é escolher a data e deixar que nós tratemos do resto.”

Os dois planos disponíveis da BeRightBack — que promete viagens surpresa durante todo o ano

BeRightBack

Embora tenha pouco mais de um ano de mercado, a BeRightBack ainda só está disponível em todo o Reino Unido. Mas os dois fundadores garantem que a ideia é expandir para o resto do mundo “nos próximos meses”.

E propostas para atrair mais utilizadores não faltam. O que lhe parece a ideia de ter a sua conta de Spotify associada ao serviço para que a BeRightBack possa agendar viagens consoante os concertos das suas bandas favoritas? Parece rebuscado, mas é só uma das ideias em desenvolvimento.

“A ideia é que, a longo prazo, consigamos ter acesso às informações das várias contas que os nossos utilizadores decidam partilhar connosco — como a do Instagram ou do Spotify.”

E continua: “Queremos personalizar a viagem ao gosto de cada um. Se estivermos a preparar uma viagem para Berlim e soubermos que a tua banda favorita vai tocar nas datas em que te encontras no país, planeamos tudo em função disso e incluímos os bilhetes no pacote.”

Web Summit. Está mesmo alguém a espiar-nos do outro lado do ecrã?

Atualmente, existem dois tipos de mensalidade disponíveis. A para o viajante a solo (que custa cerca de 56€) e a do viajante acompanhado (cerca de 103€) que inclui a viagem e a estadia de duas pessoas — e pode fazer-se acompanhar de uma pessoa diferente a cada viagem.

Ambos os planos incluem três viagens de ida e volta por ano, acesso a alojamentos com uma avaliação entre três a cinco estrelas e ainda a possibilidade de levar bagagem de mão.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.