Numa das canções do seu mais recente disco, Eminem diz: “O Agente Laranja [Donald Trump] enviou os Serviços Secretos para se encontrarem comigo pessoalmente para perceberem se eu tinha intenção de lhe fazer mal ou se tinha ligações terroristas.” A letra despertou curiosidade e, sabe-se agora, não era só um pedaço de storytelling inspirado no desdém que o rapper sente pelo atual presidente dos Estados Unidos.

Segundo vários documentos obtidos pelo “BuzzFeed”, Eminem foi mesmo entrevistado por agentes dos Serviços Secretos em relação a essa e outras letras que referissem atos de violência sobre Donald Trump e a filha de Ivanka Trump.

O encontro terá acontecido a 16 de janeiro de 2018. Os documentos mostram que, quando abordado pelos agentes que começaram a ler a letra em questão, o rapper tomou a palavra e começou a rimar. “Mathers [de Marshall Mathers, o nome legal do músico] estava familiarizado com a canção e começou um rap com os entrevistados à medida que os versos eram lidos”, lê-se.

Os 13 momentos mais WTF de Kanye West

Ainda segundo a mesma publicação, a entrevista decorreu pacificamente e foi discutida dois dias depois na sede. Nessa reunião, determinou-se que o caso não seria transitado para um procurador, já que os agentes que conduziram a entrevista concluíram que Eminem não constituía uma ameaça plausível para o presidente ou para a sua família.

Curiosamente, o caso terá sido investigado depois de uma chamada de um “cidadão preocupado” que, na verdade, era um jornalista da TMZ.

Os documentos indicam que o jornalista, cuja identidade não é conhecida, terá contactado a agência dos Serviços Secretos, a 15 de dezembro de 2017, para perguntar se o rapper estava a ser investigado pelos “comentários impróprios” sobre Donald Trump e as ameaças que fazia à filha de Ivanka Trump nas novas canções.

“Quero saber se a vossa agência está a investigar o Eminem pelas letras ameaçadoras que escreveu sobre a filha de Ivanka Trump”, lê-se no documento obtido pelo “BuzzFeed”. Embora o relatório confirme o envolvimento do tabloide nesta investigação, nenhum representante do TMZ quis prestar declarações ou comentar o caso.