Perder um filho de vista, nem que seja por um segundo, é um pânico inexplicável. Pânico terá sido o mínimo que os pais destas crianças sentiram ao saber que os filhos estiveram durante horas perdidos num pinhal durante um passeio com a escola.

Foi o que aconteceu esta terça-feira, 15 de outubro, em Marinheiros, em Leiria, quando o infantário Cubo Mágico decidiu sair com um grupo de 12 crianças para um passeio no pinhal, por volta das 10 horas, e perdeu um menino e uma menina de dois anos.

Segundo o “Correio da Manhã“, as duas crianças foram encontradas por uma senhora que vivia perto da mata e se apercebeu de que estavam sozinhas e perdidas. Imediatamente levou-as até uma bomba de combustível e chamou a PSP. Quando os agentes chegaram, já estava uma funcionária do Cubo Mágico na bomba de gasolina. As duas crianças estavam bem e seguiram para o infantário.

Avós ou creche. O que é mais benéfico para as crianças?

Nelson Domingues, representante legal da direção da escola, explicou ao “Correio da Manhã” que este tipo de passeios “fazem parte da identidade do colégio desde a sua fundação, há seis anos, sem quaisquer incidentes”. O infantário vai entretanto realizar um inquérito para “apurar o que aconteceu e avaliar o grau de responsabilidade dos profissionais.”

Acabar com estes passeios não está em causa. “Em primeiro lugar colocamos a segurança das crianças, mas não queremos perder a nossa proximidade à natureza”, explica Nelson Domingues.