Muitos jovens chegam aos 20 anos sem saber cozer arroz sem que fique em papa ou até estrelar um ovo. Mas Rui Pedro Meira, de 19 anos, não só sabe fazer arroz e ovos como uma série de pratos minhotos que vai levar ao concurso internacional European Young Chef Awards (EYCA), na ilha de Rodes na Grécia, que acontece de 22 a 24 de outubro.

Entre eles está uma termine de carnes — com porco bísaro, carne de vaca cachena, frango, mão de vaca, chouriços —, que vai acompanhar com arroz de sarrabulho e cebolas curadas e glaceadas. Uma ementa com origens minhotas, e inspirada nas tardes de convívio em família, que vai apresentar ao lado de jovens finalistas de concursos realizados em regiões europeias.

É que, tal como os outros concorrentes, Rui Pedro Meira venceu um concurso regional em Portugal: o Minho Young Chef Awards 2019 (MYCA), em maio. 

Este ano foi Rui o vencedor do MYCA, mas já no ano passado Beatriz Costa, com 17 anos na altura, representou a região do Minho no European Young Award, em Galway, na Irlanda.

Beatriz Costa. Chef de 17 anos leva comida do Norte a concurso internacional

“O EYCA é uma oportunidade única para aprender, ver a cultura gastronómica dos outros países e partilha de conhecimento”, refere o jovem de 19 anos no comunicado enviado às redações.

Além dos chefs internacionais que vão apresentar receitas das suas regiões com um toque de modernidade, vai estar presente no concurso um painel especialista em diferentes áreas, para avaliar os pratos.

A criatividade, a habilidade e a forma como os melhores jovens chefes da Europa transmitem a história dos pratos vão ser tidas em consideração pelo júri. Mas não só. A edição deste ano, a quarta desde que o concurso foi criado (2016), vai levar a sustentabilidade para cima da mesa do júri.  

A sustentabilidade na cozinha é uma preocupação cada vez mais recorrente — sabemos hoje que o caldo de cozer os legumes pode ser congelado para usar mais tarde num risotto, por exemplo — e é por isso que o painel de jurados vai avaliar se os jovens chefs têm boas práticas de gestão dos resíduos durante a confeção das sugestões apresentadas.

Uma das medidas mais sustentáveis começa logo nos ingredientes usados: são da região de cada jovem participante.

“É uma oportunidade de incentivar os jovens chefes a valorizar os produtos endógenos da sua região, explicando a importância de preservar a diversidade alimentar e cultural das suas regiões ao longo da sua carreira profissional”, explica o Consórcio Minho Inovação, responsável pela participação do jovem chefe minhoto no EYCA.

O embaixador oficial do concurso é o chef Joan Roca, dono do restaurante El Celler de Can Roca que tem já três estrelas Michelin, em Girona, e está na lista dos Melhores 50 Restaurantes do Mundo.