Quando pensamos numa alimentação vegan, vêm-nos imediatamente à cabeça várias dúvidas: como se garantem as proteínas necessárias? Como evitar carências da vitamina B12? Que alimentos de base vegetal ricos em ferro, um dos principais nutrientes que nos fornece energia, podem ser consumidos pelos vegans?

Mas e quanto à saúde oral? Este aspeto é pouco falado, mas é fundamental perceber como é que alimentação influência a ocorrência ou não de cáries ou outros problemas. A questão foi levantada pelo dentista Mervyn Druian, do Centro de Medicina Dentária de Londres, que revelou ao jornal “Daily Mail” no sábado, 5 de outubro, “um aumento do número de pacientes que mostram sinais de problemas dentários depois de cortar em certo tipo de alimentos”.

O médico dentista explica ainda que isto pode acontecer “não só devido à falta de vitaminas, como por causa da troca de alimentos que fazem”. As trocas a que Druian se refere não dizem respeito à substituição da carne por proteínas como o tofu ou o seitan, mas pelo aumento do consumo de doces ou alimentos ricos em amido, como frutas e leguminosas. Mas será que é mesmo assim?

Para esclarecer de que forma é que a alimentação vegan pode ou não influenciar a saúde oral, a MAGG falou com a nutricionista Tatiana Pinheiro, e com Joana Neves, higienista e médica dentista.

De que é que os dentes se alimentam?

Sim, também eles tem as suas próprias fontes, que são garantidas por nós. E a verdade é que os dentes não seguem uma alimentação vegetariana, vegan, paleo ou de qualquer outro tipo, mas sim saudável e equilibrada, como refere a médica dentista Joana Neves.

Essencialmente, deve garantir várias proteínas e minerais tais como: o flúor, o ferro, o cálcio, o fósforo, a vitamina D e C, e as vitaminas do complexo B +(B6 e B12). E como é que os vegans conseguem garantir cada um destes nutrientes? Joana Neves e Tatiana Pinheiro dão alguns exemplos.

O primeiro, o flúor (que atua como constituinte dos ossos e dentes aumentando a sua resistência), pode ser obtido através da água, o ferro, bem como o cálcio, estão presentes em frutos secos e folhas verdes escuras (como o agrião, os grelos e os espinafres), já o fósforo está presente em leguminosas, e a vitamina C encontra-se em citrinos, hortícolas, brócolos, etc..

Não pode dizer que é vegan se não acertar nestas perguntas

O único que não se consome é a vitamina D, já que os vegans podem obtê-la através da exposição ao sol.

“O magnésio e a vitamina D são indispensáveis na absorção do cálcio. A vitamina C tem função de manutenção e reparação do tecido conjuntivo, para além de propriedades antioxidantes”, explica a nutricionista Tatiana, mostrando que os nutrientes não trabalham no nosso organismo de forma independente, e é por isso que todos são essenciais.

Quanto à Vitamina D, a médica dentista explica que está relacionada com ossos ou dentes fortes, mas não com a doença periodontal: “relaciona-se essencialmente com determinados grupos bacterianos e não com a carência de vitamina D”, refere.

“A fruta não apresenta o risco de desenvolver cárie”

Uma alimentação vegan não significa que só se podem comer os chamados “verdes”, que constituem as saladas, ou os acompanhamentos da refeições — como o arroz, a massa ou as batatas — a que as pessoas estão habituadas numa dieta tradicional.

“É importante frisar que ser vegan nem sempre é ser saudável. Hoje em dia, existe uma panóplia de alimentos 100% vegetais, mas, dentro dessa oferta, encontramos também alimentos ricos em gorduras e açúcares, estes últimos responsáveis pela corrosão do esmalte dos dentes”, refere Tatiana Pinheiro.

Entre as opções vegan não saudáveis, há alimentos como bolachas, gomas, chocolates, refrigerantes, pipocas ou donuts. Já a frutose “não tem o efeito cariogenico da sacarose. Desde modo, a fruta não apresenta o risco de desenvolver cáries como os alimentos ricos em sacarose“, explica a médica dentista, refutando a ideia de que a fruta é um dos alimentos que contribui para problemas dentários, como diz o médico dentista ao “The Daily Mail”.

E quanto aos alimentos ricos em amido, como as leguminosas, de que Mervyn Druian falava? “Alimentos muitos retentivos, ricos em amido, também são de evitar sempre que não haja oportunidade de fazer uma escovagem após a sua ingestão. O facto de ficarem muito tempo em contacto com as estruturas dentárias, podem contribuir para o aparecimento de cárie”.

O veredito: seguir uma alimentação vegan traz ou não problemas para a saúde oral?

“Penso que uma alimentação vegan não aumentará os riscos de doenças da cavidade oral. Em qualquer opção alimentar podemos ter ou não, escolhas saudáveis que contribuem para manutenção da saúde oral/geral”, conclui a médica dentista.

A opinião é sustentada pela nutricionista: “O princípio de qualquer tipo de alimentação deve ser o equilíbrio entre a variedade e a moderação”, que reforça a ideia de que para garantir uma boa saúde oral é importante garantir o aporte necessário das principais vitaminais e minerais que influenciam a saúde oral: o cálcio, o magnésio, a vitamina D e a vitamina C.