Os fãs mais acérrimos de “Friends” e “Seinfeld” não gostam de ver as duas séries comparadas. Mas a verdade é que apesar das diferenças temáticas, que existem, há também alguns pontos de contacto que as tornam dos produtos mais importantes da história do meio.

É que embora sejam produto de uma televisão generalista, quebraram por completo todas as convenções na forma como se entendia, fazia e via televisão na altura. E enquanto “Seinfeld”, que se estreou em 1989, é muitas vezes descrita como uma “série sobre nada”, na medida em que fez comédia de situação com as coisas mais banais e insignificantes da vida, “Friends”, de 1994, fez a mesma coisa — ainda que com outro tom, peso e medida na abordagem a que se propôs.

Guerra de Séries #2. Como é que alguém gosta de “Friends” quando existe “Seinfeld”?

Só que “Friends”, ainda que mais tradicional em forma e conteúdo, ganhou pontos e tornou-se tão popular na maneira como deu voz a uma geração que, até então, não tinha aquela fase da vida (a do início da idade adulta) bem representada na ficção ou na televisão em geral.

Além de terem partilhado o mesmo canal durante quatro anos, a NBC, estas duas sitcoms partilham ainda a característica de terem usado Nova Iorque, nos Estados Unidos, como se de mais uma personagem se tratasse. É que nunca, até então em televisão, a cidade tinha ganho tanto destaque na forma como influenciava ou fazia parte da vida daquelas figuras.

Mas aqui “Friends” voltou a ser ainda mais importante já que a emissão da série coincidiu com os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, que resultaram na queda do World Trade Center.

Apesar de a tragédia nunca ter sido mencionada na série, os criadores da sitcom fizeram pequenas referências dando a entender que sabiam o que tinha acontecido mas que, ainda assim, não iriam falar sobre isso. No fundo, a sitcom serviu como uma forma de reconciliar os cidadãos americanos com a tragédia que viria a mudar o rumo do século XXI.

“Não queríamos fazer um episódio especial. Sentimos que éramos comida de conforto e que, durante aquele tempo, se tínhamos algum papel era o de ser mais engraçados do que nunca”, revelou Kevin Bright, um dos produtores, à revista “Digital Spy”.

E adiantou: “Fizemos algumas coisas em termos visuais para mostrar que sabíamos o que tinha acontecido e homenagear aqueles que tinham perdido a vida nos ataques. Por exemplo, no café colocámos uma bandeira americana que nunca lá tinha estado. E os dizeres na porta do Joey refletiam aquilo que estava a acontecer na cidade. Tentámos lidar com o assunto de forma muito subtil”, contou.

Por tudo isto, “Friends” é, a par de “Seinfeld”, das mais importantes comédias da televisão. E não é de estranhar que figure em quase todas as listas que pretendam dar a conhecer as melhores produções dos anos 90. Mas a verdade é que há mais para ver e para o fazer chorar a rir no sofá — principalmente agora, numa altura onde o streaming está em todo o lado.

A pensar nisso, fomos olhar para os catálogo das plataformas de streaming disponíveis em Portugal (a Netflix, HBO e Amazon Prime Video), e mostramo-lhes as 8 séries clássicas que marcaram os anos 90 e que valem a pena ver ou rever.

8 fotos