A história de Portugal é um livro que não tem fim. As conquistas, as derrotas e as descobertas, os reinados e as lutas de poder deram ao País uma dimensão maior do que o retângulo que ocupa. E no meio de tanta reviravolta, não podemos pensar em Lisboa como a eterna capital. Em quase 900 anos de história, o país já conheceu outras cinco e entre elas estão Coimbra ou Rio de Janeiro, no Brasil.

Guimarães

Guimarães é o berço da nação. O nome vem da história, pois acredita-se que foi aqui que D.Afonso Henriques, filho de D.Teresa e D.Henrique, terá nascido. Para além disso, foi na periferia da cidade que se travou, a 24 de junho de 1128, uma das grandes batalhas da história, a Batalha de São Mamede. A necessidade de proteger o território e desenvolver a zona mais a sul levou, em 1129, a transição do centro para Coimbra.

Esta foi a primeira capital do condado portucalense e marcante na conquista da independência do país. Ainda hoje, a cidade é relembrada pelo apelido e centenas de turistas se deslocam para visitar o castelo de Guimarães. A sua riqueza cultural valeu-lhe em 2012 o título de capital europeia da cultura.

Coimbra

É uma das cidades mais antigas do país e nela está o primeiro Panteão Nacional, o Mosteiro de Santa Cruz. Reconhecida atualmente como a cidade universitária, tornou-se capital no séc.XII pela necessidade de impulsionar o seu crescimento.

Com o Condado Portucalense, o conde D. Henrique e a rainha D. Teresa fizeram dela a sua residência. Esta troca (de Guimarães para Coimbra) tornou-se muito relevante para o processo de desenvolvimento de todo o país, trazendo principalmente à cidade melhorias a nível social, político e económico. A localização estratégica da cidade de Lisboa levou a que Coimbra perdesse, 126 anos depois, o papel de capital.

Lisboa

Lisboa, a atual capital, foi eleita em 1255 pela primeira vez. Apesar de não se ter oficializado por escrito esta mudança, a presença permanente da corte neste lugar, tornou-a capital.

Esta mudança impulsionada por D.Afonso III justificou-se pelo desenvolvimento da cidade que tinha um bom estuário com capacidade para receber navios de mercadorias. A cidade expandiu-se e tornou-se um importante porto, com comércio estabelecido com o norte da Europa e com as cidades costeiras do Mar Mediterrâneo. Por este motivo, uma parte da população optou por se mover para esta zona litoral.

Rio de Janeiro

Talvez não imagine, mas a cidade de Rio de Janeiro, no Brasil, foi a capital portuguesa durante alguns anos. No período da revolução francesa, entre 1789 e 1799, apesar de ser fora do território nacional, foi o lugar escolhido pela família real portuguesa para habitar durante este período. A governação do país passou assim a ser exercida a partir da antiga colónia portuguesa.

Angra do Heroísmo

Já no séc.XVI (entre 1580 e 1582), foi nos Açores que se estabilizou o centro do poder na época da fundação do governo de D. António, Prior do Crato. A cidade era considerada o centro e a alma do movimento liberal em Portugal e 20 anos mais tarde, durante a Guerra Civil Portuguesa travada em Portugal entre liberais, constitucionalistas e absolutistas, voltou a ser nomeada capital. Em causa estava o respeito pelas regras de sucessão ao trono português.

Após a vitória dos liberais, Lisboa é novamente declarada capital de Portugal, situação que se mantém até aos dias de hoje.