Editorial. No futebol, a lei vale zero

, por Ricardo Martins Pereira