Depois de terem surgido os primeiros rumores de que a Netflix se estaria a preparar para cortar no investimento em grandes produções, já “O Irlandês”, realizado por Martin Scorsese, estava em fase de produção. Com um custo de mais de 150 milhões de euros, o filme junta estrelas como Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci. Mas ao contrário do que aconteceu com “Roma”, este não tem estreia marcada para os cinemas portugueses.

A revelação foi feita à MAGG por uma fonte oficial da Cinema City Portugal, que tem a indicação de que “nenhum exibidor português terá o filme a passar em sala”. Ao que parece, a produção de Martin Scorsese terá atingido as “quotas mínimas para estar apto a concorrer aos Óscares” e por isso a passagem pelo mercado português não foi necessária.

Tal como o Cinema City, também uma fonte do Cinema Ideal, em Lisboa, disse não ter informação da estreia do filme e adiantou que este “não se encontra no programa” das próximas sessões do cinema. A MAGG tentou ainda contactar os Cinemas NOS e a Medeia Filmes, mas não obteve resposta.

“O Irlandês”. Tudo o que precisa de saber sobre o filme dramático mais caro dos últimos anos

No entanto, foi a própria Netflix quem confirmou a informação e garantiu que a estreia de “O Irlandês” seria exclusiva na plataforma de streaming, a 27 de novembro.

O filme é um dos mais esperados do ano e o “The Wall Street Journal” já o considera “o filme dramático mais caro dos últimos anos”. Não só devido ao elenco, mas também às novas tecnologias de edição que vão fazer alguns dos atores parecer mais novos sempre que a linha temporal da história assim o exigir.

“O Irlandês” promete ainda concorrer ao Óscar de Melhor Filme e lançar Robert De Niro na corrida para o prémio de Melhor Ator, onde quase de certeza vai concorrer com Joaquin Phoenix pela sua prestação no filme “Joker”.