Hoje em dia, as redes sociais têm políticas cada vez mais rigorosas em relação aos conteúdos partilhados pelos utilizadores. O Instagram, por exemplo, proíbe a partilha de imagens de crianças nuas acima dos 12 meses, aproximadamente, dos órgãos genitais, e também não permite a publicação de mamilos femininos a partir da mesma idade.

No entanto, uma conta de Instagram que não foi contra nenhuma destas regras acabou por ser eliminada da rede social. Foi o que aconteceu a Tori Spooner, uma norte-americana que gere a conta de Instagram do filho Parker, de 4 anos.

Quando o rapaz nasceu, Tori Spooner criou uma conta em nome da criança, mas conta ao “BuzzFeed News” que começou a usá-la mais à medida que o filho cresceu. “Estamos sempre na praia e ele nunca usa t-shirt”, afirmou a norte-americana. E foi exatamente por isso que os problemas começaram a surgir: é que Parker tem o cabelo comprido, e a rede social começou a confundir as suas imagens em topless com as de uma rapariga, e sinalizou as partilhas.

Esta é a gata com mais seguidores no Instagram

Há cerca de ano e meio, Tori Spooner conta que foi avisada pelo Facebook, que pertence ao Instagram, que a imagem que tinha publicado do filho de calções de banho ia contra as normas da rede social: “Disseram-me que a partilha era sexual e não era permitida. Foi só um aviso. Da segunda vez que aconteceu, baniram-me por dois dias”.

Passado pouco tempo, o cenário passou para o Instagram, com a conta de Parker a ser banida mais vezes, por períodos de tempo cada vez mais longos. Até que a página @parkersavesthesea foi eliminada no início de setembro — e com ela desapareceram os mais de 6 mil seguidores e anos de partilha de fotos.

Uma das imagens partilhadas pela mãe de Parker

Instagram

“Disseram-me que a minha conta foi eliminada por ter demasiadas imagens sinalizadas no Instagram”, relata Tori Spooner. No entanto, e dado que tanto o Facebook como o Instagram utilizam inteligência artificial, e se seguem pelas normas de proibir a nudez acima referidas, é bem possível que a eliminação da conta tenha sido feita automaticamente, e não por uma pessoa que se teria facilmente apercebido que as fotos pertenciam a um rapaz, não indo contra as diretrizes.

O Instagram acabou por admitir o erro, colocou a conta de Parker e da mãe de novo ativa, apesar de esta ter tido problemas em conseguir uma rápida resolução para o sucedido.

“Esta publicação foi eliminada devido a um erro e pedimos desculpa pelo engano. Lutamos pela proteção das crianças e, por razões de segurança, removemos as imagens que mostrem nudez ou nudez parcial neste público”, respondeu um representante da famosa rede social.

Tori Spooner acabou por publicar uma nova imagem do rapaz a segurar um cartaz com a seguinte mensagem: “Querido Instagram, sou um rapaz. Só tenho cabelo comprido. Parem de apagar as minhas fotografias!”.

A imagem com a mensagem a alertar o Instagram para o facto de Parker ser um rapaz

Instagram

No seguimento desta publicação, outras mães pronunciaram-se e relataram casos semelhantes, em que a rede social tinha eliminado imagens dos seus filhos sem camisola, e todos com cabelo comprido.

“É preciso encontrar uma solução para conseguirmos publicar imagens dos nossos rapazes de cabelo comprido. Talvez ter alguém a verificar manualmente as fotografias sinalizadas pelo algoritmo”, concluiu a norte-americana.