Não é fácil controlar a nostalgia. Nós sabemos. Foram muitos anos a cuidar de um animal de estimação virtual insatisfeito. Ora tinha fome, ora tinha sono, ora estava na altura de fazer as necessidades. Mas para o Tamagotchi sobreviver o máximo de dias possível tinha também de dar-lhe carinho e atenção para zelar pelo seu bem-estar. 

Mas pode confessar: pelo menos em algum dos tamagotchis que teve não conseguiu satisfazer todas as necessidades do animal, acabando por deixá-lo morrer. E a verdade é que não foi o único. Muitas crianças e adolescentes na altura, também viram um anjo no ecrã do brinquedo para anunciar a morte do animal e culpabilizar o dono pela negligência nos cuidados.

O Tamagotchi surgiu pela primeira vez em 1996 na Ásia e só em 1997 chegou à Europa e aos Estados Unidos para marcar a juventude de vários millenials.

Mas será que ainda se lembra como era o Tamagotchi? Tinha uma forma oval, três botões físicos na parte da frente para poder percorrer os menus e as opções do jogo e cada aparelho tinha um design diferente: uns tinham espirais, outros morangos, havia os mais simples de uma só cor ou os alternativos, cujo equipamento era transparente, mostrando as ligações eletrónicas do interior.

O Tamagotchi era na década de 90 uma espécie de jardim zoológico virtual. Quase todos os miúdos tinham um  destes animais — quando não eram vários — e nunca o perdiam. Isto porque andavam sempre de mãos dadas, literalmente, com o Tamagotchi através da corrente prateada que vinha com o equipamento.

No meu tempo é que era. Ainda se lembra de decorar o caderno com Kalkitos?

Mas se quiser matar saudades do brinquedo que marcou a sua infância ou a dos seus filhos, pode fazê-lo. Isto porque em 2017, ano do vigésimo aniversário do Tamagotchi, o brinquedo foi relançado pela empresa japonesa Bandai Namco, proprietária da marca, de acordo com o jornal “Público“.

A diferença dos brinquedos lançados em 1996 para a versão dos seis modelos postos à venda em 2017 é que os novos são mais pequenos (mas tudo o resto se mantém igual).

Mas esta não foi a única reinvenção. No início deste ano — a 13 de maio — surgiu o Tamagotchi On. Este sim, já com mais novidades do que a versão de 2017. A imagem pixelizada e com cores neutras dos antigos Tamagotchi foram substituídas por um ecrã a cores, revela a revista Insider do jornal “Diário de Notícias”.

Além disso os novos brinquedos estão equipados com tecnologia Bluetooth cujo objetivo é permitir que os utilizadores (sejam eles as crianças ou os millenials nostálgicos) possam comunicar com outros Tamagotchi e ligar o equipamento ao smartphone através de uma aplicação própria. Através do telemóvel vai ser então possível aceder a mais jogos, interagir com as personagens de outros utilizadores e ganhar pontos — os Gotchi.

“Os nossos fãs estão muito entusiasmados e já fizeram uma série de pré-encomendas”, contou Tara Badie, diretora de marketing da Bandai America, à BBC

De acordo com o jornal “Dinheiro Vivo” a empresa Bandai Namco indica que os relançamentos de 2019 contam com duas variantes: as fadas e a magia, cada uma com personagens diferentes e vários ambientes de jogo. Para já, só está disponível nos Estados Unidos, cujo valor é de 60 dólares (equivalente a 55€).