Soubemos esta semana que o “Conta-me como Foi” volta à televisão. Sábado, 21 de setembro, há mais um Revenge of the 90’s, e agora que já não está tempo para calções, é ver as calças à boca de sino a dominar os looks. E seguindo esta tendência de regresso ao passado, que dizem de pôr as crianças a brincar na rua?

Esta é uma ideia que roça já o vintage, principalmente se pensarmos num cenário tão caótico como as ruas de Lisboa. Mas é isso mesmo que os moradores querem: pôr as crianças a brincar na rua, sem telemóveis, tablets e PlayStations.

Para isso, e numa iniciativa do projeto Brincapé, em parceria com a Junta de Freguesia da Penha de França, este domingo, 22, a rua da Penha de França fecha-se ao trânsito das 14h30 às 19 horas.

Crónica. As crianças já não sabem brincar umas com as outras (e a culpa é nossa)

“Tragam as bicicletas, as bolas, os patins, os amigos, os vizinhos, os avós”, avisam os organizadores deste que é um projeto que nasce na zona histórica de Lisboa e que pretende dar novas oportunidade às crianças para brincar mais e de forma mais diversificada.

A iniciativa faz parte da Semana Europeia da Mobilidade, que arrancou dia 16 de setembro e que tem como objetivo mostrar que é possível ter uma cidade com menos trânsito e mais espaço para andar a pé.

Esta tentativa de trazer as crianças à rua não é inédita e, no dia 14 de setembro, os moradores da Rua Cidade de Manchester, nos Anjos, organizaram um encontro entre famílias da zona para que as crianças brincassem com os vizinhos e tirassem proveito da zona onde vivem. A organização promete repetir o evento em breve.