Imagine o seguinte cenário: deixa cair uma caneta e tem de arredar o sofá para a apanhar. Assim que arrasta o móvel, não só encontra a caneta como um animal que poucos dizem ser simpático – uma aranha. A primeira reação é matá-la e esquecer que ela alguma vez habitou o seu lar. Mas existem benefícios em deixar que os aracnídeos compartilhem o seu espaço.

As aranhas são importantes: elas capturam mosquitos e pequenos insetos que sobrevoam a sua casa, uma vez que lançam as teias na esperança que as presas caiam nas armadilhas. Normalmente alimentam-se de outras aranhas e até de mosquitos que transmitem doenças. Por isso, sim, existem benefícios em dividir a sua casa com uma aranha.

Mas há mais. Segundo o entomologista Matt Bertone explica ao “The Conversation“, existem até aranhas que preferem devorar mosquitos com o estômago cheio de sangue. Por isso, matar um aracnídeo não acaba só com a vida da aranha, como deixa a sua casa livre para mosquitos e insetos que podem trazer doenças consigo.

Homem grita “porque é que não morres?” para aranha e a polícia aparece

Segundo o mesmo especialista, que em 2016 conduziu um estudo sobre aranhas com outros cientistas, em 50 casas que visitou, todas tinham aranhas – o que prova que estes animais são mais comuns nas casas do que se pensa. Ainda assim, o etimologista garante que é normal ter medo destes pequenos animais felpudos. Afinal de contas, têm muitas pernas, podem ter muito pelo e existem algumas realmente venenosas.

No entanto, a maioria das espécies encontradas em casas comuns tem um veneno fraco para os humanos e é possível que estas aranhas nem consigam furar a pele, sendo as picadas muito raras. Estes animais até preferem evitar humanos, por isso, nada a temer.

Se mesmo assim não consegue ser convencido de que as aranhas dentro de casa podem trazer benefícios, não as mate. Se encontrar uma dentro de casa, tente capturá-la sem a danificar e libertá-la noutro lugar.