Uma escola secundária no estado de Alabama, nos Estados Unidos da América, tomou a decisão de remover as portas das casas de banho dos estudantes para evitar que estes fumem cigarros eletrónicos dentro das instalações.

A medida veio no seguimento de um desmaio de um aluno da escola Wilson High School, depois de ter fumado um cigarro eletrónico, e foi tomada pelo próprio diretor da escola, Gary Horton. Este garante que os alunos saem das aulas para vapear nas casas de banho.

Segundo um canal de televisão regional, que falou com o diretor da escola, a medida vai ser implementada apenas na casa de banhos dos rapazes. Segundo Horton, esta foi a solução encontrada para que os alunos reduzem os cigarros eletrónicos durante o tempo de aulas, no entanto a medida pode alterar-se caso surja outro plano mais adequado.

Estudo. Cigarros eletrónicos podem provocar cancro dos pulmões e insuficiência cardíaca

Para além de ter ouvido o diretor da escola, a mesma estação televisiva falou com alguns pais que explicam não estar de acordo com a decisão. “Não gosto”, disse um encarregado de educação. “Eles vão tirar o único lugar privado que eles têm na escola”.

Outro pai sugeriu que em vez de implementar esta medida, a escola podia contratar monitores que vigiassem os corredores durante o tempo de aulas para evitar que os alunos saíssem das aulas.

Em julho deste ano, também nos Estados Unidos, foram internados oito adolescentes com lesões nos pulmões e na altura foi noticiado que a causa teriam sido os cigarros eletrónicos. Todos os eles apresentavam sintomas como tosse extrema, falta de respiração, cansaço, perda de peso e diarreia.