Em 2014, foram diagnosticados mais de 1.800 casos de leucemia. Caracterizada como maligna, a leucemia é a alteração do percurso dos glóbulos brancos na medula óssea, isto é, no local onde se produzem dentro dos ossos. Esta alteração provoca a multiplicação das células de uma forma descontrolada, sem que exerçam a sua função de defesa do organismo contra infeções.

Segundo a APCL (Associação Portuguesa Contra a Leucemia), esta é uma das doenças mais frequentes em crianças. E se consegue imaginar — ou  já passou por uma situação semelhante —, sabe a dificuldade que é manter a força para dar apoio. Imagine agora como será para uma criança.

Os primeiros dias de creche. “As crianças podem sentir-se mesmo abandonadas”

Aubrey Burge tem 5 anos e aguenta firme a doença ao lado do irmão, Beckett Burge, 14 meses mais novo. Não tinha de ser assim e ninguém a obrigou: “Nós encorajamo-la a sair e fazer outras coisas, mas ela prefere ficar a tomar conta dele”, diz a mãe de três filhos, Kaitlin, ao jornal “Mirror“. Das várias fotos que a progenitora e o marido, Matthew Burge, foram partilhando da relação entre os dois irmãos, há uma que se tornou viral.

Tudo aconteceu em março de 2018, “do dia para a noite”, quando Beckett teve uma infeção no ouvido. Nada indicava que se viria a tratar de um problema relacionado com cancro, no entanto, em abril do mesmo ano, o filho de Kaitlin foi diagnosticado com leucemia linfoblástica. No dia em que voltou para casa, depois de submetido a quimioterapia, transfusões de sangue e plaquetas, Aubrey fazia anos. Sem ver o irmão há um mês, deparou-se com o estado debilitado de Beckett.

“Não conseguia andar e perdeu muito peso”, admite a mãe, que teve dúvidas na forma como deveria lidar com a situação e se queria “que ela soubesse o que estava a acontecer.”

4 fotos

Só que Aubrey Burge foi-se apercebendo do estado cada vez mais fraco em que se encontrava o irmão. “Sempre que ele voltava para casa, a Aubrey tentava entender porque é que ele não queria brincar — não era como ela.” Ainda que não se apercebesse da gravidade da doença, a criança “assumiu o controlo”. Faz questão de estar presente em todos os momentos, “preocupa-se em saber onde é que ele está, como está e com quem está”. Em casa, abdica das brincadeiras comuns dos miúdos da sua idade para se dedicar ao irmão: “Encarrega-se de ajudar e garantir que tudo aquilo com que ele entra em contacto está limpo.” Nas palavras de Aubrey, o irmão é “o seu melhor amigo”.

No Hospital de São João, os doentes oncológicos fazem reiki para reduzir os efeitos da quimioterapia

Foi um destes momentos que a mãe decidiu fotografar. A foto, que se tornou viral, é uma em várias que foram partilhadas para “mostrar a importância da família em tempos de crise.” No momento capturado, Aubrey esfregava, em forma de apoio, as costas do irmão, que se inclinava sobre a sanita. Depois, fez ainda questão de o “levar para o sofá e de ajudar a mãe a limpar a casa de banho”.

O tratamento da doença continua e estima-se que se mantenha até agosto de 2021. Até lá, Beckett Burge vai ser submetido a tratamentos mensais, a medicação diária e a quimioterapia — sempre com o apoio da família, principalmente da irmã mais velha.