A história parece saída de um filme de Hollywood, mas não podia ser mais verdadeira. Depois de ter desaparecido de um comboio enquanto viajava com o pai com apenas 4 anos, uma jovem conseguiu “, 20 anos depois, encontrar a sua família biológica.

Mas voltemos ao início: estávamos em 1999 quando Yulia Moiséyenkoal , natural da Bielorrússia, viajava de comboio entre as cidades de Minsk e Osipóvichi. Tal como escreve o jornal espanhol “ABC”, e apesar de estar acompanhada pelo pai, a menina acabou por desaparecer enquanto o adulto dormia, dado que este se encontrava alcoolizado.

Quando despertou, o pai de Yulia já não a encontrou. Agora, mais de duas décadas depois, sabe-se que a criança terá saído do comboio na estação de Riazán. Quando a polícia a encontrou sozinha, entregou-a para adoção. E se para os pais os anos seguintes não foram fáceis, com a mãe sempre em busca dos motivos e o pai a viver com um sentimento de culpa, Yulia também não teve um percurso fácil.

Menino desaparecido durante três dias diz ter sido ajudado por um urso

Depois de ser entregue para adoção, Yulia Moiséyenko passou por momentos complicados junto da primeira família que a acolheu, e chegou a dormir nas ruas e a pedir esmola. O cenário acabou por melhorar depois de ter sido entregue a uma segunda família, que a bielorrussa considera como pais até aos dias de hoje.

Em 2019, e com 24 anos, Yulia Moiséyenko conseguiu encontrar finalmente os pais biológicos, depois de anos de busca. Através da internet, o noivo de Yulia encontrou relatos de uma mãe que tinha perdido a filha na mesma localidade que a bielorrussa desapareceu, e precisamente na mesma altura.

A partir daí, e depois de vários contactos efetuados para chegar ao casal, Yulia e os pais biológicos realizaram testes de ADN para determinar se eram mesmo pais e filha. Os resultados foram comprovados e a família conseguiu reunir-se finalmente após 20 anos.