Numa altura em que se vive tanto o ténis, principalmente pelo sucesso do português João Sousa, e que são poucas as pessoas que não estão viciadas em padel, as bola néon passam a estar mais presentes na vida de muitos.

O que nunca pensámos foi qual a origem destas bolas e até de que cor é que elas realmente são. Para uns são amarelas, para outros são verdes. Nem sempre foram desta cor ou material e há uma explicação para isso.

Já foram várias as versões de bolas que foram surgindo ao longo dos anos. Foram feitas de cortiça, de lã e até de cabelo humano, até passarem a ser de borracha com um exterior de feltro.

14 curiosidades históricas e científicas que o vão deixar de boca aberta

Durante cerca de um século, as bolas de ténis foram pretas ou brancas, até que em 1972 passaram a ser néon. Mudança que aconteceu devido ao facto de se começar a transmitir os jogos na televisão a cores, na BBC, o que tornava impossível distinguir a bola no ecrã, sempre que estas caíam perto das linhas.

A Internation Tennis Federation tomou assim a decisão de, em 1972, trocar a cor da bola para amarelo, para torná-la mais visível aos telespetadores. Ainda assim, Wimbledon só mudou a cor das bolas para amarelo em 1986. “Optic yellow” foi o nome atribuído pela federação à nova cor das bolas de ténis.

Apesar de o nome da cor dizer explicitamente amarelo, a dúvida ainda existe. A bola de ténis é amarela ou verde? Uma discussão que surgiu no Twitter e que, tal como ta saga das cores do vestido, levou muitas pessoas a parar para olhar para uma bola de ténis e perceber qual a cor que viam. Até o tenista Roger Federer se questionou: “São amarelas, certo?”.

Apesar de não haver uma resposta final, aquilo que se sabe é que a cor que lhe foi atribuída foi o amarelo.