Hoje em dia, os ecrãs — palavra mais utilizada para caracterizar televisões, tablets, telemóveis, etc. — são uma constante na vida das crianças e jovens. E se é verdade que estas novas tecnologias podem ter benefícios, também o é que os miúdos se viciam facilmente nestes gadgets e cada vez mais descuram outras atividades em grupo, no exterior ou com outro tipo de brinquedos.

Isto é uma preocupação de muitos pais, que quase que gostavam que os filhos entrassem numa máquina do tempo e conhecessem a realidade de brincar na praça do bairro com os amigos, em que uma simples bola era entretenimento suficiente para uma tarde, ou até mesmo uma corda de saltar.

Mas se é fácil pensar que gostávamos que as crianças preferissem outro tipo de atividades, nem sempre é simples arranjar ideias novas e apelativas para entreter os miúdos e, mais importante ainda, mantê-los afastados dos ecrãs.

Até agora.

Os ecrãs estão a substituir os pais

O livro “Socorro! Os Miúdos estão Offline”, que chegou às livrarias a 20 de agosto, é um guia prático recheado de atividades simples, gratuitas e económicas para entreter as crianças, adequadas ao gosto dos mais novos — mas também ao espaço que tem disponível em casa.

E apesar de as sugestões de atividades do livro se destinarem, de uma forma geral, a crianças em idade escolar — entre os 5 e os 16 anos —, todas estas alternativas podem ser adaptadas. Das cerca de 150 sugestões do livro, escolhemos dez que pode começar a colocar em prática já hoje. E há para todos os gostos: dentro de casa, no exterior, para apenas uma criança ou em grupo. Preparado para divertir os mais miúdos?

Leões adormecidos

Número de jogadores necessários: 2 ou +
Precisa de: um chão adequado e limpo

“Quando lhe apetecer um pouco de paz e sossego, este é o jogo ideal. Todos os jogadores, exceto um, deitam-se e “dormem” no chão como leões adormecidos. O caçador (idealmente outra criança, para que o leitor possa realmente relaxar) move-se pela sala, tentando detetar qualquer movimento. Qualquer um que se mova é “caçado” e tem de se juntar ao caçador para apanhar os outros leões. Embora o caçador não possa tocar nos leões, é totalmente permitido tentar fazê-los rir para incentivar um movimento.”

O detetive da bandeja

Número de jogadores necessários: 2 ou +
Precisa de: 1 bandeja e uma série de pequenos objetos de toda a casa, como por exemplo, um fósforo, um saca-rolhas, o controlo remoto da TV, etc.

“Este é um bom jogo para aguçar os poderes de observação. Coloque a sua seleção aleatória de objetos numa bandeja — quanto mais, melhor. Peça a uma pessoa que observe a bandeja durante um minuto e depois peça-lhe para desviar o olhar. Quando ela virar a cabeça, remova um dos objetos. O objetivo é que o jogador olhe de novo para a bandeja e identifique o objeto que desapareceu — parece simples, mas quanto mais comum for o objeto, mais difícil se torna o jogo.”

"Socorro! Os miúdos estão offline" é editado pela Zero a Oiti e tem um preço recomendado de 16,99€

Caça à peça de lego

Número de jogadores necessários: 2 ou +
Precisa de: 1 peça de lego ou algo igualmente pequeno, juntamente com os seus poderes de observação

“Originalmente jogado com um dedal, este jogo existe há séculos. Um jogador tapa os olhos ou, de preferência, vai para outra divisão da casa, enquanto o outro jogador esconde a peça de lego. Em seguida, o “caçador” tem um minuto para a encontrar. Se a frustração começar a aumentar, os outros jogadores podem dar uma ajuda, dizendo “quente” se o candidato estiver perto, ou “frio”, se estiver longe.”

Obter eletricidade a partir de uma batata

Número de pessoas necessárias: 1 ou +
Precisa de: 1 batata, 1 faca, 2 moedas de um cêntimo, 3 pedaços de fio de cobre, 2 pregos zincados e 1 lâmpada

“Ponha a mente científica do seu filho a funcionar com esta experiência simples.

1. Corte uma batata ao meio e faça um pequeno corte na parte plana de cada metade;
2. Pegue nas duas moedas de um cêntimo e em dois pedaços de fio de cobre. Enrole um pedaço de fio de cobre em volta de cada moeda algumas vezes;
3. Introduza uma moeda em cada corte da metade da batata;
4. Pegue noutro fio de cobre e enrole-o em volta de um prego zincado, depois espete o prego numa das metades da batata;
5. Pegue no fio de cobre ligado à moeda na metade da batata com o prego e envolva-o em volta do outro prego. Espete esse segundo prego na outra metade da batata;
6. Quando ligar as duas extremidades soltas dos fios de cobre a uma pequena lâmpada ou LED, esta acende-se (embora não seja muito brilhante).”

Saco do lixo da moda

Número de pessoas necessárias: 1 ou +
Precisa de: pelo menos 2 sacos de lixo grandes, tesouras, fita adesiva e a sua melhor postura para desfilar na passarela

“Este projeto vai fazer com que o seu filho se sinta como se o mundo fosse a sua passarela privativa. Um “vestido” básico pode ser feito cortando um orifício do tamanho da cabeça no fundo do saco e duas aberturas nos lados para os braços. Parte do topo do saco pode ser cortada e recortada para criar um comprimento que pode depois ser atado com um cinto na cintura. Pregas podem ser criadas dobrando e colando o plástico — ou outras tiras podem ser cortadas do comprimento do saco e usadas para criar laços, folhos ou mangas.

Para fazer um casaco, corte o saco em dois pelo meio, corte o meio de um dos lados em direção ao fundo do saco. Faça uma abertura no fundo larga o suficiente para o pescoço e depois cole as duas abas da frente para trás para criar as lapelas. Use a secção superior do saco para fazer as mangas cortando e colando com fita adesiva. Adicione bolsos ou uma franja cortando e colando pedaços adicionais de saco de plástico. Depois de personalizar as suas criações, porque não fazer uma sessão fotográfica?”.

Soletrar de trás para a frente

Número de jogadores necessários: 3 ou +
Precisa de: uma mente aguçada e um excelente vocabulário

“Tal como o nome do jogo indica, tudo o que é necessário é que os jogadores soletrem as palavras de trás para a frente, enquanto os outros tentam adivinhar a palavra. Comece com palavras mais curtas e vá aumentando para as mais longas à medida que todos tenham conseguido entrar no ritmo do jogo. Pode até restringir as palavras para objetos que consegue ver a partir do lugar onde está sentado. Cada palpite correto marca um ponto.”

Livro. Canecas personalizadas e outras 4 atividades para avós e netos

Palavras que rimam

Número de jogadores necessários: 2 ou +
Precisa de: estar alerta e agir de forma rápida e inteligente

“Este é um jogo excelente para se jogar durante uma viagem, já que não requer nenhum tipo de equipamento. Os jogadores revezam-se para escolher uma palavra de uma ou duas sílabas e os outros devem rapidamente criar uma palavra que rime. Por exemplo, “porta”, “morta”, “pino”, “tino”, e assim por diante. Não são permitidas repetições ou hesitações — a pessoa que não conseguir encontrar uma palavra que rime quando é a sua vez de jogar fica fora do jogo. No final, o vencedor deve pensar numa nova palavra para começar a próxima rodada.”

Pintar o pátio

Número de jogadores necessários: 1 ou +
Precisa de: pincéis e guache

“Este jogo só é viável se tiver um pátio. As crianças vão adorar a liberdade de poder expressar-se no exterior, pintando literalmente o pátio. A beleza é que, no final de uma sessão, pode lavar todas as criações com uma mangueirada de água e começar de novo assim que o chão secar.”

Batalha com balões de água

Número de jogadores necessários: 2 ou +
Precisa de: pequenos balões e uma torneira para os encher

“Se o sol estiver a brilhar, este é um ótimo jogo para se refrescar. Os jogadores precisam de encher os balões com água e depois posicionar-se um em frente ao outro, prontos para a batalha começar. Não se esqueça de arrumar depois, pois os balões vão explodir e deixar restos pelo chão.”

Calcular a que distância se encontra uma trovoada

Irá necessitar de: possivelmente 1 impermeável ou 1 guarda-chuva

“Conte os segundos entre o raio e o trovão e multiplique por 344 para calcular a que distância (em metros) se deu o relâmpago. Durante uma trovoada, irá sempre ver o raio e depois ouvir o trovão porque a luz viaja mais rápido do que o som. Sendo a velocidade da luz 299.792.458 metros por segundo, e a velocidade do som 343 metros por segundo, é fácil perceber porque é que existe um grande atraso. Assim, dez segundos entre o raio e o trovão equivaleriam a 3,4 quilómetros.”