Um não vê e outro não anda, mas juntos conseguem escalar montanhas

“Ele é as pernas, eu sou os olhos". Trevor Hahn e Melanie Knecht não deixam que as limitações físicas os impeçam de aproveitar a natureza.

“Ele é as pernas, eu sou os olhos. Juntos, somos a equipa dos sonhos” afirma Melanie Knetch

Juntos escalam montanhas, mas estão longe de ter o perfil habitual de um montanhista. Melanie Knecht tem 29 anos e nasceu com espinha bífida, uma anomalia congénita do sistema nervoso, que a impede de andar. Trevor Hahn, de 42 anos, ficou cego há 5 anos por uma das principais causas de cegueiras nos adultos, glaucoma.

Melanie Knecht tem 29 anos e nasceu com espinha bífida

Instagram

Conheceram-se num curso de exercícios adaptados e depois de perceberem a paixão pela natureza que os unia, rapidamente ficaram amigos e juntos começaram a pensar numa forma de continuarem a aproveitar as montanhas, ainda que com estas limitações físicas.

Melanie orienta o percurso e é suportada por Trevor, que a carrega numa espécie de transportadora em forma de mochila, feita por medida. Tal como adiantou Melanie no programa de televisão matinal Good Morning America: “Ele é as pernas, eu sou os olhos. Juntos, somos uma equipa de sonho”. E tal como admite, ainda que esta parceria facilite o processo, não lhes tira responsabilidade. “Se um de nós cai, o outro cai. Isso muda toda a dinâmica de se sentir um fardo”.

Conheceram-se num curso de exercícios adaptados e rapidamente, compartilharam a sua paixão pela natureza e por atividades ao ar livre

Instagram

Deram à parceira o nome de Hiking with Sight, e é através das redes sociais que vão partilhando fotografias e testemunhos dos percursos em montanha que escolhem fazer. “Tem sido ótimo partilhar as nossas histórias e espero que encorajem outras pessoas a tentar fazer o mesmo ou, pelo menos, a pensar um pouco fora da caixa. Somos a prova de que juntos somos mais fortes”, referem.

Melanie Knecht desloca-se em cadeira de rodas, o que dificulta o seu transporte em alguns percursos, ainda que não deixe que isso seja uma limitação. Ainda assim, um dos seus principais objetivos é consciencializar as pessoas para a falta acessibilidade para pessoas com deficiência.

Com vários trilhos pensados para os próximos tempos, apresentam o mais ambicioso: escalar uma montanha com 4 quilómetros de comprimento no Colorado.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]