Há um nutriente que pode estar em falta no cérebro de quem segue uma dieta à plant-based. Isto, segundo uma nutricionista, Emma Derbyshire, que acaba de escrever um ensaio em que avisa as pessoas que fazem este tipo de dieta que podem estar com falta de colina.

Um nutriente que faz parte do complexo B das vitaminas e que ajuda a transferir sinais entre células nervosas. De acordo com a nutricionista com um doutoramento em nutrição humana, apesar de este nutriente estar presente em alguns alimentos desta dieta, a maior concentração está nos lacticínios e na carne.

Este aviso é para todos os que seguem uma dieta vegan, mas em especial para as grávidas ou mulheres que estão a amamentar que o fazem, por se acreditar que este nutriente tem fortes benefícios para o desenvolvimento cerebral do feto. “(…) Cada vez mais pessoas estão a deixar de comer ovos e carne. Mas isso pode deixar as mulheres em idade fértil com uma lacuna neste nutriente chave. Se a colina não for obtida nos níveis necessários, principalmente em estágios da vida como na gravidez, pode ser crítico no desenvolvimento da criança “, explica a nutricionista.

Blogger vegan volta a consumir produtos de origem animal

Apesar de a colina estar mais presente em alimentos como os ovos, o leite ou a carne, também se pode obter através de nozes de soja, brócolos, couve de bruxelas, feijões cozidos, cogumelos, quinoa e amendoins. Segundo a The British Dietetic Association, com uma dieta vegan bem estruturada, é possível obter colina suficiente. “É perfeitamente possível conseguir os valores necessários com uma dieta vegan ou plant-based, mas é preciso ter um plano”, afirmam.

Para a British Nutrition Foundation, tudo se trata de equilíbrio, “é provável que com uma dieta vegan ou vegetariana saudável e variada se consiga colina. Mas também é importante que a dieta à base de plantas seja equilibrada e tenha nutrientes como ferro, zinco, cálcio e vitamina B12. Dito isto, sabemos que pode haver vários benefícios para a saúde ao seguir uma dieta plant-based, mas isso não significa que os produtos de origem animal devem ser completamente excluídos.”