Viajar de avião pode ter tanto de entusiasmante como de chato. A preparação, a chegada horas antes da partida e a própria viagem são encaradas de forma diferente de pessoa para pessoa.

Há quem não resista àquelas horas antes de embarcar e aproveite para ler livros e revistas ou dar uma volta pelas lojas do aeroporto. Por outro lado, há quem não aguente as filas para a segurança e as horas fechadas dentro de um avião.

E são essas horas que trazem mudanças ao nosso corpo. Durante a viagem de avião acontecem coisas estranhas, coisas que se calhar nem notamos, mas que não deixam de acontecer. Aqui ficam registadas nove e algumas dicas sobre o que fazer em relação a elas.

1. Vai ficar desidratado

Esta é uma certeza – em qualquer voo que faça vai ficar desidratado. É por isso que vemos a tripulação a avançar e recuar no corredor do avião a oferecer água aos passageiros. Num voo de três horas é provável que perca 1,5 litros de água, por isso é necessário que se hidrate bem antes, durante e após o voo. Para além da desidratação, a pele também pode sofrer do mesmo mal. Para evitar isto basta hidratar a sua pele durante e após a viagem.

2. Os ouvidos experienciam a sensação de estarem tapados

Para além das dores de cabeça ou de se sentir sonolento, os seus ouvidos também devem experienciar alguma tensão. A sensação de estarem tapados é uma realidade e pode ser mais intensa se estiver doente ou com um ataque de sinusite. Para evitar ou alivar este sintomas é boa ideia mascar uma pastilha de forma a aliviar a pressão dentro dos ouvidos.

O que é que acontece quando puxa o autoclismo num avião?

3. Pode sentir-se triste

Se for de viagem deverá sentir-se entusiasmado e feliz, mas às vezes, em pleno voo, acontece exatamente o contrário. Poderá sentir-se nostálgico e triste por causa da redução dos níveis de testosterona – o que leva a aceder a memórias mais depreciativas do que o normal. Isto acontece devido à posição das cadeiras no avião e consequente postura dos passageiros. O que deve fazer é colocar uma peça de roupa, uma almofada ou uma pequena garrafa de água por trás da coluna torácica – na área atrás do coração, para reorientar a sua coluna.

4. Existe risco de ser exposto a radiação

Isto pode realmente acontecer mas os cientistas garantem que não é tão grave como pode parecer. Durante a descolagem os nossos corpos sobre um aumento de radiação, isto acontece porque nos afastamos do solo numa altitude de 30 mil pés ou mais. Mas esta não é uma situação perigosa, especialmente se voa uma vez por mês ou algumas vezes durante o ano.

5. Pode sentir-se cansado e com dificuldade em respirar

Sabe aquele amigo que adormece assim que o avião começa a subir? Há uma explicação para isso: a pressão da cabine. Devido aos níveis de oxigénio reduzidos existem pessoas que experienciam sonolência, dores de cabeça ou tonturas. Aqueles que sofrem do coração ou dos pulmões podem ainda aumentar o risco de hipoxia – uma redução dos níveis de oxigénio no sangue. De forma a evitar isto, pode levar um pequeno purificador de ar portátil para o ajudar a respirar melhor.

Companhias aéreas admitem que existem câmaras instaladas nos assentos do avião

6. Há um maior risco de formação de coágulos

A bordo de um avião as pessoas passam a maior parte do tempo sentadas. Isto aliado a uma pressão atmosférica faz com que o risco de coágulos no sangue possa aumentar. Para prevenir esta situação, as recomendações passam por de tempos a tempos levantar-se do lugar e caminhar no corredor do avião. O uso de meias de compressão também pode ser uma hipótese.

7. As pernas podem inchar

Quem nunca notou o inchaço dos tornozelos em pleno voo? Isto é provocado pelas horas sentados o que leva a que os fluidos se concentram nas extremidades inferiores. Esta situação não é dramática mas pode ser desconfortável e chata. A solução passa por meias de compressão para ajudar a circular os fluidos.

8. É mais provável que fique doente

Existem pessoas que simplesmente não conseguem voar sem apanhar uma constipação. Ainda que existam diversos fatores que possam interferir, como o sistema imunitário, a verdade é que os aeroportos são dos melhores locais para apanhar vírus desconhecidos. Basta pensar que a toda a hora partem e chegam pessoas de vários cantos do mundo e, por isso, uma pessoa nunca sabe com o que tem contacto. O mesmo se passa com os assentos do avião – espirros, tosses e vírus que não temos conhecimento. Aumentar a dose de vitamina C, com laranjas, toranjas e frutos críticos, e comprar um desinfetante de mãos pode ser a solução.

Sabia que uma boa aterragem não é suave? Piloto revela 15 segredos sobre viagens de avião

9. As papilas gustativas podem ficar fora de controlo

Já viu alguém a falar bem das comidas de avião? Geralmente os passageiros queixam-se do que lhes é servido a bordo, mas isto pode não ser total culpa da companhia. Na verdade, pode ser o nosso próprio corpo a reagir à comida do avião – quando chegados à altitude de cruzeiro, a nossa habilidade para saborear o doce e o salgado diminuiu 30%.