WTF. É a primeira expressão que nos ocorre quando nos deparamos com a existência insólita de comprimidos feitos a partir de, imagine-se, pedaços do Muro de Berlim. Sim, estamos mesmo a falar daquele que, durante quase 30 anos, separou a Alemanha, tendo a sua queda, em 1989, simbolizado a reunificação deste país. E, não, nada disto é metafórico. Segundo os jornais ingleses “The Guardian” e “The Telegraph” é mesmo real.

Mas o que vem a ser isto, afinal? De acordo com o “The Guardian”, estes comprimidos homeopáticos são feitos a partir de pedaços de betão do Muro de Berlim com lactose, diluídos em água. Não são comercializados num sítio qualquer: estão à venda na Ainsworths, em Londres, uma “farmácia” de homeopatia que recebeu um mandado real, documento emitido a quem fornece bens e serviços à realeza. A coroa inglesa — sobretudo o Principie Carlos — é conhecida por simpatizar com as medicinas alternativas, tendo especial afeto por esta em particular.

Sobre os seus alegados efeitos, o mesmo jornal explica que na homeopatia há a crença de que a água retém a memória de uma substância, assim que ambas ficam em contacto, funcionando como uma espécie de antídoto contra isso mesmo. Seguindo esta lógica, podemos pensar então que estes comprimidos funcionam como antídoto para o Muro de Berlim. Isto faz sentido? Absolutamente nenhum.

Insólito. Yves Saint Laurent lança coleção de joalharia em formato de pénis

Mas, ao que parece, a resposta é ligeiramente mais complexa. Ao que se diz, os comprimidos do Muro de Berlim (nunca vai deixar de ser estranho escrever isto) são eficazes no caso de incidentes traumáticos do passado, que ficaram retidos, bloqueados, na memória.

A ideia é que eles possam encorajar relacionamentos e ajudar a ultrapassar obstáculos emocionais. Segundo o “TheTelegraph”, que acusa a farmácia de explorar os clientes, entre os efeitos estão também o tratamento de asma, dores de cabeça, depressão e insónias. 

Agora, a questão que se impõe. Funcionam? Serão os pedaços do Muro de Berlim capazes de fazer ultrapassar o final de uma relação? Um trauma com alturas? Ou um síndrome do impostor?

O NHS, serviço nacional de saúde britânico, não reconhece o seu valor. Mais: não financia esta medicina alternativa, com base no facto de não haver “evidência de qualidade que diga que a homeopatia seja eficaz no tratamento de qualquer condição”, acreditando que esta prática não é uma “forma cientificamente plausível de prevenir doenças.”

A Ainsworths vende o remédio do Muro de Berlim online, com diversos preços, conforme a maneira em que o medicamento é apresentado. Os valores variam entre 4,20 libras (4,6€) um frasco de um grama de comprimidos de lactose e 120 libras (cerca de 133 €) um frasco com mil mililitros (23% de álcool).