Viajar é giro, mas implica alguma logística. Acordar às 4 da manhã para um voo madrugador, carregar malas e suportar o efeito jet lag são algumas das barreiras a derrubar na hora de conhecer o mundo.

E a não ser que possa viajar em executiva — e ter acesso a um menu com mil opções e uma cama (quase) melhor que a de casa —,  viagem de avião pode não ser um sonho. Não há segredos — se era disso que estava à espera —, mas estas cinco dicas dadas pela revista “Forbes” podem tornar um voo ou uma viagem de trabalho mais agradável e divertida.

Largue as malas pretas

É simples, comece pelas malas. Umas férias divertidas não combinam com uma mala escura e monótona. Claro que não é isso que determina a qualidade das férias que vai ter, mas é um passo. A viagem até pode não ser a pretexto de trabalho, mas um toque de cor nesse momento, pode mudar a forma como vê as coisas. Se os padrões ou cores que vê nas lojas convencionais não lhe agradam, a revista americana sugere que conheça a marca de malas ROAM Luggage. A marca californiana permite personalizar desde o fecho às rodas — com mais de um milhão de combinações de cores.

Leve roupa confortável

Se viajar por si só já não é confortável imagine fazê-lo de fato e gravata. A não ser que vá direto para um encontro ou para uma sessão fotográfica, não leve roupa que não lhe permita aguentar comodamente um voo de três horas. Para além disso, há cada vez mais opções giras e confortáveis que o deixam apresentável em qualquer situação. Para as mulheres e na luta contra o pior inimigo — o sutiã —, podem optar por usar um bralette ou um sutiã sem aros.

Feriados. 6 sugestões de viagens para fazer a pé, de autocarro ou de caravana

Caixa de memórias

Souvenirs, aquele clássico das férias. Canetas, porta-chaves ou canecas compradas nas lojas de turistas que rondam a cidade inteira e, muitas vezes, vendidos a preço de ouro. E o que diz a T-shirt do Hard Rock Café sobre a sua viagem a Barcelona? A não ser que seja realmente um fã de rock, existem outras opções para que traga um pouco dessa viagem consigo. A “Forbes” surgere recolher um pedaço de natureza. Basta levar na mala um boião de plástico pequeno e coletar algo (areia, terra ou pedras) de onde desejar. Pode relembrar aquela tarde passada no Central Park ou o dia de sol numa praia na Tailândia.

Escolha os sapatos ideais

Uma das escolhas mais difíceis — escolher uns sapatos confortáveis, que não lhe apertem os pés e de preferência que não apitem no controlo de segurança. Apesar de existirem opções mais confortáveis dentro dos saltos altos e dos sapatos de fato, não há nada como uns bons ténis. E com a variedade que encontra no mercado consegue perfeitamente formar um look mais casual ou mais desportivo. Mas mais importante ainda é o conforto — principalmente quando viaja muitas horas. Com a altitude os pés tendem a inchar, se o calçado for duro ou apertado vai-se sentir ainda mais desconfortável. Além disso, com o pouco espaço que as malas de voos low-cost incluem, é importante que faça escolhas que lhe permitam usar a mesma opção em vários conjuntos.

Leve consigo uma almofada de pescoço

Um must have em viagens, principalmente de longa duração. Se não viaja em primeira classe e o seu voo tem mais de quatro horas isto vai ajudar. Não resolve as questões dos bebés a chorar, do espaço reduzido para esticar as pernas ou da turbulência mas dá-lhe uma sensação de conforto e ajuda-o a adormecer. As almofadas de pescoço — que se vendem em lojas de centro comercial ou até no aeroporto —, ajudam a sentir-se mais confortável. Não ocupa espaço porque a pode levar já colocada no pescoço e com a textura maleável consegue encontrar uma posição para descontrair durante o voo.