A Versace pediu desculpas à China depois de fabricar uma T-shirt que identificava Macau e Hong Kong como países. Em causa está uma peça de roupa da marca de luxo italiana que listava várias cidades mundiais, cujas imagens criaram polémica nas redes sociais por não respeitar a China como país soberano dos dois territórios asiáticos.

Desde o ano de 2018 que a China tem sido bastante mais rígida com a forma como as empresas estrangeiras descrevem Macau e Hong Kong, que embora tenham sido colónias europeias no passado, pertencem agora ao país de Xi Jinping, o presidente da República Popular da China, embora com algum grau de autonomia.

A peça que causou a polémica

teequickly.com

Depois da polémica, a marca, que foi adquirida em setembro de 2018 pela Michael Kors, emitiu um comunicado a 11 de agosto a admitir que cometeu um erro, e avançou que  parou de comercializar a t-shirt a 24 de julho, bem como destruiu as peças ainda em armazém. “A Versace reforça o amor pela China, e o absoluto respeito pelos territórios chineses”, acrescentou a marca italiana em comunicado.

Donatella Versace pediu desculpas à China através do Instagram

Donatella Versace / Instagram

Donatella Versace, a diretora artística da famosa marca de alta costura, fez declarações semelhantes através da sua página oficial de Instagram: “Nunca quis desrespeitar a soberania da China e é por isso que quero pedir desculpas pessoalmente por tal imprecisão e pela possível angústia que o erro possa ter causado”.

Zippy criticada por lançar coleção sem género. “Zippy nunca mais”