Falta menos de uma semana para o novo filme de Quentin Tarantino chegar às salas de cinema portuguesas. Chama-se “Era Uma Vez… em Hollywood” e promete, mais uma vez, recriar a história tal como o realizador se lembra dela. Passa-se em 1969 e vai acompanhar a ascensão do culto criado por Charles Manson, que depressa se transformou numa organização criminosa ao assassinar cinco pessoas em dois dias.

Mas é também uma homenagem a uma fase de Hollywood em que Tarantino diz que já não existe e que, pela primeira vez, junta Leonardo DiCaprio e Brad Pitt nos papéis principais.

A pensar na estreia do filme, marcada para 15 de agosto, fomos vasculhar o catálogo da Netflix e encontrámos os melhores filmes em que os dois atores são protagonistas — cada um no seu filme, claro, uma vez que os atores nunca contracenaram juntos. E há de tudo um pouco para ver.

AXN transmite os 8 filmes que inspiraram “Era Uma Vez… em Hollywood” de Tarantino

É o caso de “Sacanas Sem Lei”, onde Brad Pitt se destacou ao interpretar o líder de um esquadrão das forças norte-americanas focado em exterminar o maior número possível de nazis durante a Segunda Guerra Mundial.

Outro exemplo é “The Departed — Entre Inimigos” que junta Leonardo DiCaprio e Matt Damon num filme de ação em que um polícia se infiltra na máfia e um mafioso ganha acesso ao departamento de polícia que a está a investigar. O resultado é uma produção repleta de momentos de alta tensão que só melhora com a participação de Jack Nicholson como ator secundário.

Mostramos-lhe os melhores filmes de Leonardo DiCaprio e de Brad Pitt para ver (ou rever) na Netflix.

“Sacanas Sem Lei”

Lançado em 2009, “Sacanas Sem Lei” já é considerado um dos clássicos de Quentin Tarantino e conta com Brad Pitt no papel principal. Na história, o ator norte-americano dá vida a Aldo Raine, líder de um pelotão especial dos Aliados que, na Segunda Guerra Mundial, tem como objetivo matar o maior número de nazis e cortar-lhes o escalpe.

Tal como todos os outros do realizador, o filme tem a quantidade certa de humor e violência, e marca a diferença ao tentar reconstruir parte da história — mostrando um desfecho diferente do conflito armado que opôs vários países e ideologias.

No elenco estão ainda nomes como Christoph Waltz, Michael Fassbender e Diane Kruger.

“O Estranho Caso de Benjamin Button”

Outro dos papéis mais conhecidos de Brad Pitt é referente a “O Estranho Caso de Benjamin Button”. O filme, que estreou em 2008, conta a história de uma pessoa que vive com uma doença rara que o obriga a viver a vida ao contrário dos outros seres humanos.

É que em vez envelhecer, Pitt — que no filme é Benjamin Button — deixa de ser adulto e passa pelas várias fases da vida mas ao contrário: volta a ser jovem, passa pela adolescência e termina a vida em bebé.

Filha de Bruce Lee acusa Tarantino de caricaturar o pai em “Era Uma Vez… em Hollywood”

A prestação no filme enquanto protagonista valeu-lhe vários elogios por parte da crítica internacional e até mesmo a nomeação para o Óscar de Melhor Ator, que acabou por ser atribuído a Sean Penn pelo filme “Milk”.

“WWZ: Guerra Mundial”

Em “WWZ: Guerra Mundial” vemos Brad Pitt num filme bem mais frenético e caótico onde o mundo acaba de chegar ao fim e os zombies estão à solta. A história não é nova e já a vimos repetida no cinema ao mostrar o esforço de um homem em salvar o mundo e a família de uma praga que ninguém sabe muito bem como começou.

O filme foi um sucesso de bilheteira e chegou a falar-se numa sequela realizada por David Fincher (“Seven — 7 Pecados Mortais”). No entanto, terá sido cancelada devido a um problema de orçamento.

“The Revenant: O Renascido”

Realizado por Alejandro G. Iñárritu (“Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância”), “The Revenant” foi elogiado pela crítica em parte por ser hiper-realista e demonstrar o esforço físico e emocional da personagem interpretada por Leonardo DiCaprio — que ganhou o primeiro Óscar de Melhor Ator pela sua prestação.

O filme conta a história de um homem que se vê obrigado a lutar pela sobrevivência depois de ser atacado por um urso e ser atraiçoado por membros do clã que julgava serem família.

Apesar dos elogios, “The Revenant” levantou alguma polémica devido à violência explícita de algumas das cenas mais icónicas.

“The Departed — Entre Inimigos”

Em “The Departed — Entre Inimigos”, de Martin Scorsese, Leonardo DiCaprio junta-se a Matt Damon e a Jack Nicholson para um filme sobre o conflito constante entre uma organização criminosa e o departamento de polícia focado em investigá-la.

E enquanto DiCaprio dá vida ao polícia infiltrado, Matt Damon assume a personagem de um mafioso nas forças especiais. No fundo, é o típico de jogo entre gato e rato que está repleto de momentos de tensão e outros capazes de nos fazerem perder a cabeça — bem ao estilo daquilo que Scorsese nos tem habituado.

“Django Libertado”

“Django Libertado” é outro dos filmes mais importantes de Quentin Tarantino, até pela forma como serve de critica ao racismo nos EUA, e conta com Leonardo DiCaprio no papel de um dos maiores vilões — que trafica e comercializa escravos como forma de sustento.

Além das prestações de DiCaprio e de Jamie Foxx, o filme ficou conhecido pela cena icónica em que a personagem de DiCaprio bate com a mão na mesa e acaba por se cortar. Esse momento, além de não estar previsto no guião, não foi cortado e o sangue que vemos é mesmo real e pertence ao ator.

Apesar disso, Leonardo DiCaprio nunca saiu da personagem e Tarantino fez questão de garantir que as câmaras continuavam a filmar.