Bom, bonito e (mais) barato. 6 alternativas para umas férias de sonho

A "Time" apresenta algumas alternativas mais económicas, que substituem "aqueles" destinos da wishlist. Portugal está na lista.

A revista "Time" apresenta Portugal como uma alternativa a destinos mais caros na Europa

Eibner Saliba / Unsplash

Da Califórnia às Maldivas, quem é que nunca desejou passar férias num destino de sonho? Alguns conseguem juntar dinheiro e vão mesmo, outros ficam-se pela fantasia.

As paisagens bonitas, a gastronomia, as temperaturas altas (às vezes) e a diversidade cultural são alguns dos aspetos que nos fazem querer viajar para estes destinos. As redes sociais também contribuem para isso, principalmente quando nos mostram a beleza destes lugares. São os destinos de férias de famosos, bloggers ou influenciadores, e nós queríamos que fossem os nossos também.

Infelizmente, nem sempre ficam lá muito em conta. Mas não é preciso desanimar: a revista norte-americana “Time” apresenta algumas alternativas menos conhecidas e por isso mais económicas, que substituem seis daqueles destinos da wishlist. O melhor de tudo? Portugal está na lista.

1. Troque Napa Valley por Santa Ynez Valley

Santa Ynez Valley, Califórnia

Luca Bravo / Unsplash

A duas horas de Napa Valley, na Califórnia, está Santa Ynez Valley. Se pensa em Napa como uma área vinícola, saiba que pode descobrir uma região semelhante por muito menos dinheiro e mais qualidade. Quem o diz é o editor da “Travelzoo“, Gabe Saglie, em entrevista à “Time”.

“As uvas nesta área são simplesmente mais baratas do que em Napa e há mais variedade — Cabernet de qualidade, como em Napa, além de Pinot Noir de classe mundial, Syrah e muito mais”. Para além disso, os hotéis são mais baratos, afirma Saglie.

Numa pesquisa rápida na Booking, o campeão de vendas em Napa Valley chama-se Silverado Resort and Spa e uma noite em agosto fica por 340€ para duas pessoas. Para as mesmas datas, em Ynez Valley o hotel mais vendido é o Chumash Casino Resort e custa 241€.

2. Troque as Maldivas pelas Filipinas

Louie Martinez / Unsplash

Se há destino que as bloggers promovem e que nós suspiramos são as Maldivas. O mar azul, as cabanas privadas em cima da água e as praias com palmeiras fazem-nos sonhar com umas férias de facto especiais. Parece que não é possível encontrar isto noutro lugar, mas é. No mesmo continente, há uma ilha menos conhecida e menos visitada, que lhe pode oferecer paisagens igualmente deslumbrantes: as Filipinas.

Os voos a partir de Portugal talvez rondem os mesmos valores (uma média de mil euros, em agosto, para ambos os destinos), mas as atividades locais e os hotéis ficam bastante mais baratos. De acordo com a Booking e com base no preço mais baixo, uma semana nas Maldivas, em agosto, no hotel Sunnyside Maamendhoo, fica por 136€. Com as mesmas condições, nas Filipinas, o GV Hotel cobra-lhe 46€, por uma semana.

Há muito que fazer e a “Time” apresenta algumas das opções: passear de caiaque nas lagoas de calcário de Palawan, explorar os desfiladeiros na província de Cebu ou mergulhar nas águas da Ilha Verde. Tudo isto rodeado pela natureza.

3. Troque Toscânia por Abruzzo

Marco Pugini /Unsplash

Entre as várias regiões de Itália, uma das mais visitadas é a Toscânia. Situada no centro do país, é reconhecida pelo romance e arte (a estátua Davi, de Michelangelo, encontra-se na cidade de Florença) e por isso está recheada de turistas todo o ano.

Há uma alternativa: Abruzzo, no sul de Itália, foge ao turismo e é provável que seja o último destino onde se encontram viajantes, disse Scott Keys, fundador da Scott’s Cheap Flights, à “Time”. Mas não é por isso que não é bonito, interessante e com uma boa gastronomia. Há “restaurantes deliciosos e agroturismo (a agricultura mantém-se), e sítios incríveis para caminhar”, diz Scott.

4. Troque França, Itália ou Espanha por Portugal

Lisa Fotios / Pixels

Viajar pela Europa também não é barato. Destinos como França, Itália ou Espanha podem ter preços bastante altos, sobretudo em época alta.

É aqui que entra Portugal. A “Time” apresenta o País como uma alternativa a outros destinos no resto do continente. Portanto, se a ideia era conhecer uma cidade europeia, aproveite melhor o que temos por cá.

Por exemplo, se quer explorar melhor o Porto, encontra voos de ida e volta, em setembro, por uma média de 75€, diz-nos a aplicação Hooper. Mas se o que lhe apetece é mesmo relaxar e estender a toalha ao sol, pode viajar de comboio para Faro na CP por uma média de 50€, em agosto.

Também temos preços apelativos — o nosso café, por exemplo, custa entre os 0,70€ e 0,80€, mais barato do que no resta da Europa, segundo a página Turismo de Portugal. O pior são mesmo as refeições, diz a revista norte-americana: uma refeição média pode variar entre os 13€ e os 22€ e uma mais gourmet entre 31€ e 54€. Não é propriamente muito em conta.

5. Troque a Islândia pela Escócia

Robert Hvaerly / Unsplash

Se o que queria era passar umas férias geladas em Stykkishólmur, na Islândia, a “Time” sugere-lhe uma alternativa bem distante, mas que lhe manterá os dentes a bater: as Ilhas Shetland, na Escócia.

Não é um destino económico, mas se vai gastar algum dinheiro, uma excursão de 11 dias pelas ilhas Shetland e outras zonas na Escócia, custa-lhe cerca de sete mil euros. O mesmo passeio na Islândia fica a um preço similar, mas só dura oito dias. Se ainda não está decidido, Scott Keys dá-lhe mais uma vantagem: as Ilhas Shetland apresentam um festival de fogo, no mês de janeiro, inspirado nos vikings.

6. Troque os Alpes suíços pelos Alpes austríacos

Paul Gilmore / Unsplash

Quem é que não sonha com uma viagem às montanhas? A sugestão da revista não é rejeitar os Alpes suíços ou berneses, mas sim substitui-los pelos austríacos. Os voos não são muito mais baratos, mas em compensação o custo das atividades equilibra. Segundo o site Numeo e o My Life Elsewhere, citados pela “Time”, os custos de restauração, transportes e mercearia são inferiores na Áustria face à Suíça.

Não são viagens low cost para o padrão da Europa, mas diz Keys que “praticamente tudo — acomodações, cerveja, bilhetes de comboio — é mais barato na Áustria do que na Suíça”.

Vamos procurar um exemplo: no Price of Travel, uma cerveja em Viena, na Áustria, custa-lhe entre 3€ e 5€. Já em Zurique, na Suiça, custa-lhe 6€ e 9€.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]