Victoria Cunningham, a mulher inglesa que estava desaparecida em Faro desde segunda-feira, 5 de agosto, já foi encontrada. De acordo com John Whaite, o vencedor da edição de 2012 do programa “The Great British Bake Off” e irmão mais velho de Victoria, esta terá sido levada do aeroporto por um estranho, na segunda-feira.

Para além de ter sido John Whaite a confirmar, através da sua página de Twitter, que Victoria já teria aparecido, foi também ele quem alertou para o seu desaparecimento. A 5 de agosto, o cozinheiro britânico publicou quatro fotos da irmã na mesma rede social, a dizer que Victoria estaria desaparecida e sem passaporte. Pediu ainda para que, se alguém a reconhecesse, a informasse de que a família estava à sua procura e à espera apenas que ela regressasse a casa sã e salva.

De acordo com a cronologia dos acontecimentos relatada pelo britânico, a irmã foi incapaz de embarcar no voo de sábado na sequência de problemas de saúde, relacionados com depressão e desordem disfórica pré-menstrual (PMDD), uma vertente mais grave do Síndrome pré-menstrual. O namorado deixou-a no aeroporto de Faro.

Irmã do vencedor do “British Bake Off” desaparece em Faro — e John critica as autoridades portuguesas

Segundo o “Daily Mail”, sabe-se agora que Victoria Cunningham estaria seriamente intoxicada na noite de sábado, facto que a impediu de embarcar. O namorado entrou no avião, levando consigo os filhos. Na segunda-feira, a inglesa deveria ter apanhado um novo voo, mas deixou o aeroporto à pressa, saindo sem o passaporte. O irmão, nas publicações nas redes sociais, realçou que Victoria tem problemas psicológicos e de saúde, que poderão ter levado a este comportamento.

Depois de ter anunciado que a irmã foi encontrada, o vencedor do “The Great British Bake Off” explicou que Victoria já está sóbria, mas muito abalada com os acontecimentos. “Parece que ela foi encontrada mesmo a tempo”, escreveu John Whaite no Twitter, numa possível alusão a algo mais grave que poderia ter acontecido.

O inglês agradeceu também o apoio nas redes sociais e explicou que a prioridade é levar Victoria Cunningham para casa, com saúde e privacidade. Quando o paradeiro da irmã mais velha ainda era desconhecido, John Whaite foi muito crítico em relação às autoridades portuguesas, chegando a afirmar que a polícia nacional não estaria a fazer nada para ajudar na procura de Victoria.

No entanto, e depois de oferecerem prontamente ajuda ao inglês, a VOST Portugal (Voluntários Digitais Em Situações de Emergências para Portugal) explicou à MAGG que John Whaite nunca reportou o caso às autoridades.“Nós perguntámos ao John se ele já tinha reportado o suposto caso de desaparecimento da irmã à embaixada britânica ou às autoridades portuguesas. Ele respondeu que não”, disse Jorge Gomes, um dos fundadores da VOST Portugal.

Entrevista à assessora dos McCann. “Tive vários jornalistas a ligarem-me a dizer que iam descobrir os meus podres”

Estranhando o cenário, Jorge Gomes contactou as autoridades portuguesas para confirmar se de facto existia algum registo de desaparecimento por parte do inglês. A polícia respondeu não ter informações de nenhum desaparecimento em Faro, muito menos nas condições relatadas.

“Eu acredito que se o caso tivesse sido logo reportado às autoridades, a procura já tinha avançado e possivelmente a Victoria já tinha sido localizada. Não penso que o Twitter seja a melhor forma de anunciar que alguém desapareceu, até porque a polícia não irá reparar de imediato se alguém os identificar nalguma publicação”, explicou Jorge Gomes à MAGG.