Foi em 2010 que o parlamento português aprovou a lei que permite o casamento entre homossexuais, que a Apple lançou o iPad e o iPhone 4 e que o Metro de Lisboa inaugurou a extensão da linha vermelha até ao aeroporto. Foi também neste ano que Kevin Systrom e Mike Krieger lançaram o Instagram, uma rede social de partilha de fotografias que veio revolucionar a forma como comunicamos uns com os outros. Aconteceu a 6 de outubro e, quase nove anos depois, já são mais de mil milhões de pessoas inscritas na rede.

Adquirida pelo Facebook em 2012, a aplicação não sofreu grandes transformações além da introdução de novas funcionalidades e de um logótipo mais atrativo. Este ano já vamos ter novidades: esta sexta-feira, 2 de agosto, um porta-voz do Facebook anunciou que na loja de aplicações virtual, a app vai passar a estar o nome Instagram from Facebook em vez de Instagram. A notícia foi avançada pelo “The Information”.

O novo nome é apenas uma forma de o Facebook afirmar a sua posição enquanto detentor do Instagram (e do WhatsApp, que também vai mudar para WhatsApp from Facebook), mas nada muda no ícone ou no funcionamento da aplicação.

O conteúdo partilhado atualmente é bastante diversificado. Há fotografias de paisagens, selfies, InstaStories (vídeos ou fotografias disponíveis durante 24 horas) e até IGTV (aplicação independente do Instagram que permite vídeos mais longos). No entanto, tudo começou com a fotografia de um cão. “Test” era a descrição da fotografia partilhada por Kevin Systrom, precisamente para o co-fundador testar a aplicação alguns meses antes da data de lançamento.

Foi com esta fotografia que tudo começou

A fotografia mostra o cão sentado, o pé da namorada de Kevin e, apesar de nesta altura ainda não ter sido testada a funcionalidade de adicionar a localização, sabe-se que foi tirada junto ao stand de comida mexicana “Tacos Chilakos”, no México, de acordo com a revista “Time”.

Se soubesse o que sabe hoje, Kevin ter-se-ia esforçado mais na fotografia que publicou do cão, ainda que tivesse colado um filtro (o X-PRO II, que ainda está disponível), tal como explicou ao Bloomberg.

Kevin foi partilhando várias fotografias do cão na sua conta de Instagram, que receberam vários comentários de pessoas enternecidas com o animal. Veja aqui algumas da imagens partilhadas pelo dono do cão que deu início à rede social.

5 fotos

As fotografias do cão pararam a 25 de dezembro de 2010. Quase três anos depois, Kevin anunciou que ia chegar um novo membro à família — e à plataforma digital. Dolores, conhecida também como “dolly” na rede social, tem atualmente mais de 20 mil seguidores e 86 publicações.

5 fotos

As contas de Instagram de animais têm tido bastante adesão. À comunidade canina no Instagram juntam-se nomes como Jiffpom, com mais de nove milhões de seguidores, Marnie the Dog, que tem quase dois milhões de seguidores, e ainda Reagan the Doodle, que soma 516 mil seguidores. Estes são apenas alguns dos animais que estão na lista das melhores contas de Instagram de 2019 feita pela “Time”.