Estava a cumprir uma pena de 73 anos e dez meses e decidiu tentar escapar da prisão no sábado, 3 de agosto. Mas a tentativa de fuga de Clauvino da Silva, um barão de droga de 42 anos, apesar de original, acabou por não ser bem sucedida — e o brasileiro acabou por cometer suicídio esta terça-feira, 6.

Preso na unidade Gabriel Ferreiro Castilho do Complexo Penitenciário de Gericinó (antigo Complexo Penitenciário de Bangu), um estabelecimento prisional de alta segurança localizado na zona oeste do Rio de Janeiro, Clauvino vestiu uma máscara de silicone, uma peruca e roupas femininas para se fazer passar pela filha, Ana Gabriel Leandro da Silva, 19 anos, que o tinha visitado horas antes.

Depois de os guardas estranharem a sua forma masculina de andar, dado que se fazia passar por uma jovem mulher, Clauvino foi impedido de abandonar a prisão no momento em que pedia o documento de identificação da filha na portaria do estabelecimento de segurança (os visitantes são obrigados a entregar estes documentos à entrada).

Barão de droga brasileiro usa máscara de silicone e finge ser a filha para fugir da prisão

De acordo com informações da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) ao G1, o prisioneiro deverá ter cometido suicídio enforcando-se com um lençol. Também segundo uma notícia do “Observador”, os bombeiros e a Proteção Civil foram chamados de imediato ao local e já foi instaurado um inquérito para apurar as circunstâncias desta morte.

Depois da tentativa de fuga, o traficante foi colocado em isolamento e deveria receber uma punição por falta leve, média ou grave, correspondente ao sucedido.