O Sri Lanka está a oferecer vistos turísticos a 48 países. A medida foi partilhada pelo ministro do turismo, John Amaratunga, e está a ser aplicada desde quinta-feira, 1 de agosto, durante o período de seis meses.

Os vistos são de um mês, e destinam-se a viagens de turismo ou com fins comerciais. A lista inclui países como o Reino Unido, a Austrália, a Índia, a Indonésia e Portugal. Para obter os vistos, pode candidatar-se online ou na chegada ao país.

Segundo a agência de notícias Reuters, depois dos ataques em abril de 2018, várias agências internacionais de turismo lançaram o alerta e o número de turistas caiu 70,8%, valor que não se verificava desde o fim da guerra civil no Sri Lanka.

Os atentados do Sri Lanka vistos pelos portugueses que conhecem bem o país

Para dar resposta a esta quebra, o país decidiu pôr fim às taxas de vistos de 18€ para os visitantes sul-asiáticos, e de 31€ para os restantes. Os hotéis anunciaram ainda pacotes com descontos até 60%.

A 21 de abril do ano passado, o Sri Lanka foi alvo de ataques terroristas. Igrejas e hotéis, em Colombo, Negombo e Batticaloa foram atingidos, mais de 300 pessoas foram mortas e várias centenas ficaram feridas. As suspeitas recaíram sobre um grupo extremista local, ligado a grupos islâmicos internacionais, e mais de 40 pessoas foram presas. O país ficou em estado de emergência e o turismo caiu a pique. Por semana, começaram a ser canceladas cerca de 40 viagens.

O turismo do país corresponde a 4,9% do produto interno bruto, e estima-se que gere uma receita de 3,3 milhões de euros para 2019. De acordo com John Amaratunga, a oferta de vistos será suspensa se não se registarem aumentos significativos no número de turistas.