Alusão a Adão e Eva? Saiba como surgiu o famoso logo da Apple

Quando pediu a Rob Janoff para desenhar o logo da sua empresa, Steve Jobs tinha apenas um pedido: "Não o faças muito fofo".

O símbolo foi criado há cerca de 40 anos

Zhang Kaiyv / Unsplash

Há logótipos que dispensam apresentações e são reconhecidos em meros segundos. Afinal, não precisa de muito tempo para perceber que as três riscas pertencem à Adidas, o “M” amarelo à cadeia de fast food McDonald’s e o pequeno pássaro azul ao Twitter, certo?

Para além destes exemplos, existe outro reconhecido mundialmente: falamos do logo da Apple, representado por uma maçã mordida. Mas sabe a história do nascimento do famoso símbolo?

Tudo começou há cerca de 40 anos quando Steve Jobs, o fundador da empresa de tecnologia, pediu a Rob Janoff, um designer norte-americano especializado em logótipos, para desenhar o símbolo da Apple, deixando-lhe apenas um pedido. “Não o faças muito fofo”, terá dito Steve Jobs ao designer, tal como escreve o “The Drum”.

A ideia de desenhar uma maçã não foi propriamente original, dado que remete imediatamente para o nome da marca (“apple” significa maçã). Porém, Rob Janoff optou por colocar uma dentada no fruto, para garantir que o símbolo era automaticamente ligado à Apple.

Mas, e de acordo com o site norte-americano, existem várias interpretações do público para este logo. Há quem acredite que se trata de uma referência à Bíblia, especificamente ao pecado de Adão e Eva (que comeram a maçã proibida no Jardim do Éden), mas também quem seja mais fã da teoria de que o símbolo se trata de uma alusão a Alan Turing, matemático e génio da computação, que foi encontrado morto ao lado de uma maçã.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]