Silvester Stallone embebedou Sharon Stone para gravar cena de sexo em “O Especialista”

Muito conhecida pelo seu corpo e pelas cenas íntimas que fez, a atriz disse estar "farta de nudez". Para contornar, Stallone deu-lhe vodka.

"Depois de uns copos, éramos puro tesão", contou Silvester Stallone, sobre convencer a atriz com vodka

Quando se pensa em Sharon Stone, agora com 61 anos, é inevitável recordar as cenas mais eróticas ou provocatórias que já fez no cinema. Um dos grandes culpados é o famoso cruzar de pernas em “Instinto Fatal”.

Mas estas cenas nem sempre foram feitas com muita vontade ou bem recebidas pela atriz. Foi o caso da cena de sexo que tinha que protagonizar com o ator Silvester Stallone, no filme “O Especialista“, de 1994. Sharon Stone recusou-se a gravar esta cena com a justificação de que “estava farta de nudez”.

Pressionada pela produção, e com uma ajuda de Stallone, a atriz aceitou fazer a cena. A ajuda resumiu-se a uns copos de vodka. “Chegámos ao set e ela decidiu que não queria tirar a roupa. O realizador pediu à maioria da equipa para sair do quarto, mas ela continuava a negar-se a tirar. Se eu já tinha prometido que não passaria os limites com ela, qual era o problema? Disse que estava farta de nudez e eu disse-lhe que ficasse farta de nudez no filme de outro. Como ela não se convencia, fui ao meu camarim buscar uma vodka Black Death que o Michael Douglas me tinha dado. Depois de alguns copos, éramos puro tesão“, contou o ator ao site “Ain’t it Cool“.

Esta dificuldade em convencer Sharon Stone a gravar resultou numa cena de sexo de cerca de três minutos, que os críticos consideraram muito fraca.

“A cena está tão produzida que o sexo nunca pareceu tão vulgar e tão pouco sexy. Um monumento ao anticlímax. São duas pessoas desconectadas porque estão demasiado concentradas em si mesmas”, foi a descrição da “Entertainment Weekly“. Já o “The Independent” descreveu a cena como: “A estranha forma como Stallone acaricia a cabeça de Stone, com o braço esticado para trás, mexendo o seu cabelo com a palma da mão, enquanto olha para a frente distraído, é a forma como um homem acaricia o seu gato, enquanto pensa noutras coisas mais importantes.”

O filme realizado por Luis Llosa, que realizou também “Anaconda”, tem uma pontuação de 5,5 em 10 no iMDB, e recebeu uma série de prémios, todos negativos. Foi o caso dos troféus de Pior Atriz, Pior Ator e Pior Casal em Cena.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]