Apesar de ainda ser possível comprar garrafas de vidro (nomeadamente de cerveja) com tara recolhida em algumas superfícies comerciais, este era um hábito bastante mais comum nos anos 80 e inícios dos anos 90. No entanto, numa altura em que cada vez mais existe uma preocupação com o meio ambiente, este é um hábito que pode valer a pena recuperar, principalmente com o plástico.

Exatamente por isso, existe uma nova medida do governo português para incentivar à reciclagem. De acordo com um despacho do Ministério do Ambiente, publicado a 19 de julho, quem devolver determinadas garrafas de plástico pode recuperar dinheiro — mas não em numerário.

Segundo o despacho, o valor a recuperar não é convertível em dinheiro físico (ou seja, em notas e moedas), “devendo ser adotado um mecanismo alternativo para resgate do montante pelo consumidor, nomeadamente por via de talão de desconto rebatido em compras, descontos em lojas, atividades ou serviços, sorteios ou donativos a instituições de solidariedade social”.

Estamos a reciclar cada vez mais em Portugal. E sabe qual é o material que mais reciclamos?

E quanto valem as garrafas devolvidas? Os formatos de 1 litro e 0,5 vão valer dois cêntimos, enquanto os restantes, até dois litros, irão valer cinco cêntimos. Abrangidas por esta medida estão as garrafas de plástico de água, bem como as de sumos, refrigerantes ou bebidas alcoólicas. De fora, ficam as garrafas de plástico com bebidas lácteas, como as dos iogurtes líquidos, por exemplo.

De acordo com o mesmo documento, serão disponibilizadas máquinas automáticas em superfícies comerciais de norte a sul de Portugal continental, onde os portugueses poderão depositar as suas garrafas de plástico, mesmo que as mesmas garrafas não tenham sido adquiridas naquele local.

Com este projeto-piloto, que deverá arrancar a 31 de dezembro de 2019 (mantendo-se em vigor até junho de 2021), o grande objetivo do governo é que 50% das garrafas plásticas vendidas no nosso País sejam devolvidas para reciclagem. Segundo o despacho oficial, no decorrer desta campanha, “o valor do prémio poderá ser revisto”, para que a meta dos 50% consiga ser cumprida.