Quem pensa em ganhar o euromilhões pensa comprar coisas extravagantes: casas, carros, férias paradisíacas e até ilhas. Mas agora existe uma ilha escocesa que entrou em desconto e está a ser vendida por tanto como uma moradia geminada em Londres, conta o “Daily Mail” (também podia ser em Lisboa, que não está com preços assim tão diferentes).

Inchmarnock, o nome da ilha, fica na costa este da Escócia e oferece um refúgio tranquilo para quem quer escapar da confusão das cidades. A ilha tem 267 hectares e fica apenas a 10 minutos de ferry da cidade de Rothesay (que fica na ilha escocesa Isle of Bute).

Atualmente, a ilha de Inchmarnock está inabitada, mas nos seus tempos áureos o pedaço de terra chegou a ter 41 pessoas. Segundo o “Daily Mail”, o último residente, um agricultor, terá abandonado a ilha em 1986.

Poucos anos depois, em 1999, a ilha foi comprada por um casal que se mantém como proprietário até aos dias de hoje. Usavam a ilha como o refúgio de férias. Agora, pretendem vendê-la assim como uma casa com quatro quartos e alguns edifícios desabitados. A ilha ainda tem terrenos agrícolas, floresta nativa, um pequeno porto e ferry.

14 coisas que tem de comer e beber se passar pela ilha Terceira

De acordo com a mesma publicação, que explica as raízes da ilha, em Inchmarnock já terão sido encontrados vestígios de uma mulher da idade do bronze, em 1960. Terá ainda sido usada como centro de treino para o Dia D, sendo ainda possível ver algumas crateras ao longo da ilha.

A ilha e as propriedades estão a ser postas à venda através da agência “Strutt & Parker”. Diane Fleming, consultora imobiliário destacada para vender a ilhar, conta ao “Daily Mail” que o pedaço de terra é um bom investimento.

“Existe imenso potencial para criar algo relacionado com desporto, desenvolver opções residenciais e capitalizar outras variadas coisas, uma vez que a ilha oferece madeira, desportos aquáticos e pesca”, explica. “Inchmarnock é deslumbrante e tem uma herança incrível. É refúgio isolado e pacífico mas que é relativamente acessível desde a Escócia”, afirma Fleming. “Esperamos um interesse significativo de compradores nacionais e internacionais”, concluiu.