Com a chegada do verão, o hábito de secar o cabelo à temperatura ambiente depois do banho pode parecer o método mais simples e até mais conveniente. Além de não ter de se preocupar em ir buscar o secador, são mais uns minutos na cama.

Mas a verdade é que este é um dos hábitos pouco saudáveis se o objetivo é manter e cuidar da saúde do seu cabelo. Numa altura em que há cada vez mais mitos e dúvidas sobre a forma como o cabelo deve ser tratado, a MAGG foi à procura de resposta a algumas das questões mais frequentes.

Sabia, por exemplo, que deve lavar o cabelo com água doce antes e depois de entrar na piscina? Segundo Carlos Portinha, especialista em saúde capilar e diretor da clínica Saúde Viável, a ideia passa por impedir que o cabelo absorva quantidades elevadas de cloro.

“Tal como é importante lavar o cabelo depois, também o é lavar antes de entrar na piscina. Se o cabelo já estiver húmido antes de entrar na piscina, este vai absorver uma menor quantidade de cloro, algidicas e outras substâncias prejudiciais ao couro cabeludo”, explica.

Da mesma forma, lavar o cabelo diariamente não significa uma perda acentuada a longo prazo e é um dos maiores mitos no que toca à saúde capilar. Mas há mais.

1. Será que perdemos mais cabelo no verão?

Embora seja normal perder entre 50 a 100 cabelos por dia, é no verão e no outono que se identifica uma perda acentuada de até três vezes mais.

Segundo Carlos Portinha, diretor da clínica Saúde Viável, trata-se daquilo que conhecemos como sendo a queda sazonal. “A explicação está no ciclo de crescimento do folículo. Nestas alturas do ano, há mais cabelo a entrar no seu estado de repouso [fase telogénica], para depois regenerar e voltar a crescer.”

Como ter um cabelo de arrasar em 2019

O especialista explica ainda que há vários estudos que revelam que os níveis de testosterona aumentam igualmente nesta altura do ano, sendo uma das causas associadas à queda do cabelo nesta altura.

2. Como distinguir a “queda normal” da “queda grave” de cabelo?

Para distinguir entre a perda normal ou a perda grave de cabelo, é importante que verifique a quantidade de cabelo que fica na almofada, na escova, no duche ou no lavatório. O primeiro sinal de alerta verifica-se caso a quantidade de cabelo perdido seja superior ao normal.

De seguida, é importante comparar o estado do seu cabelo através de fotografias que tenha tirado há dois anos, por exemplo. O objetivo? Verificar se essa queda é pontual ou não.

Segundo o especialista contactado pela MAGG, só deve procurar ajuda caso se verifique que se tratam de perdas prolongadas e acentuadas. E garante que logo na primeira consulta é possível verificar se se trata de uma queda de cabelo normal ou se implica tratamentos.

Caso seja preciso intervenção médica, Carlos Portinha garante que deve ser feita o quanto antes já que, nestas situações, o tempo influencia o resultado final do tratamento.

3. Como combater a queda de cabelo no verão?

No verão, o cabelo está exposto a vários agentes externos e agressivos. É o caso do cloro da piscina, os algicidas, a água salgada do mar e o sol. Todos estes enfraquecem o cabelo e retiram-lhe o brilho e obrigam à aplicação de champôs e máscaras adequadas.

O segredo passa por manter uma boa hidratação e uma alimentação variada, rica em boas fontes de vitaminas. Além disso, há ainda tratamentos específicos (como a mesoterapia nutritiva MesoHair) que tornam o cabelo mais resistente, hidratado, nutrido e saudável.

Less is More. Há champôs e amaciadores sem químicos e para todos os cabelos

Carlos Portinha explica: “A mesoterapia é um tratamento muito simples e de curta duração já que é feito em pouco mais do que 15 minutos. Consiste na administração subcutânea de vitaminas, minerais e proteínas que vão ativar biologicamente as células da unidade folicular e, assim, melhorar a saúde do cabelo.”

4. É verdade que o stresse faz nascer cabelos brancos?

Apesar de, segundo o especialista, existirem estudos que associam a perda do cabelo ou a cor branca ao stresse e ansiedade, Carlos Portinha diz que o que acontece é que à medida que se envelhece, os folículos tendem a produzir menos melanina.

“É durante o seu ciclo de crescimento que, com o avançar da idade de um indivíduo, estes comecem a nascer mais brancos. Há que ter em consideração o fator genético, que também pode ajudar a explicar porque há pessoas com cabelos brancos e outras não”, revela.

5. É aconselhado lavar o cabelo todos os dias?

Carlos Portinha não tem dúvidas de que lavar o cabelo diariamente significa proteger “a saúde do couro cabelo e do cabelo”. o que significa que vai crescer com qualidade. Por isso, está na altura de esquecer esta ideia de que lavar o cabelo regularmente faz mal e acelera o processo de queda.

No entanto, alerta para o cuidado ao secar o couro cabelo após cada lavagem.

4 dicas para ter um cabelo saudável (e controlar a queda sazonal)

6. Não é preciso secar o cabelo no verão?

De certeza que já se deparou com alguém que, no verão, prefere deixar o cabelo secar lentamente e ao natural por achar que se trata de uma melhor opção do que expor o cabelo ao calor do secador. Mas esta não é uma boa prática.

É sempre aconselhável secar o couro cabeludo com o secador a baixa temperatura ou a frio — mas sempre a uma distância de mais ou menos um palmo do couro cabelo. As pontas do cabelo podem ficar humedecidas mas o couro, e a raiz, devem ser sempre secas”, explica o especialista.

7. A água do mar nutre o cabelo?

A água do mar tem vantagens e desvantagens para o cabelo. Por um lado, é rica em vitaminas, sais minerais e proteínas que dão mais saúde ao couro cabeludo e ao cabelo. Mas também é verdade o que seu elevado teor de sal torna o cabelo mais seco, menos resistente, menos brilhante e mais áspero.

O conselho médico é que “lave o cabelo com água doce ao final de um dia de praia, bem com o uso de produtos adequados a esta altura do ano”, diz Carlos Portinha. Mas também é importante que não prescinda de um champô e condicionador, bem como de um creme protetor para o cabelo.

8. Porque é que é aconselhado lavar o cabelo com água depois antes e depois de entrar na piscina?

Há quem prefira lavar o cabelo com água doce depois de sair da piscina, visto que o cloro prejudica a saúde capilar. Mas o médico capilar diz que é importante que isso aconteça também antes de entrar na água.

“Tal como é importante lavar o cabelo depois, também o é lavar antes de entrar na piscina. Se o cabelo já estiver húmido antes de entrar na piscina, este vai absorver uma menor quantidade de cloro, algidicas e outras substâncias prejudiciais ao couro cabeludo.”

9. Cortar as pontas ajuda a que o cabelo cresça mais rápido?

Esta é outras da ideias que não passam de um mito. Ainda que cortar as pontas ajude a que o cabelo pareça mais saudável, este método não afeta em nada o ciclo de crescimento do cabelo.

Acabou-se o cabelo palha: 7 sugestões de protetores para usar na praia

10. Os calvos estão em maior risco de vir a ter cancro da pele?

“Um estudo publicado no International Journal of Cancer concluiu que a calvície androgenética (o tipo mais comum de calvície nos homens) está associada a um risco aumentado de carcinoma de células escamosas (CEC) e carcinoma basocelular”, explica Carlos Portinha.

“Além deste estudo, foram publicados outros dois. Um em 2018 no Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology, e outro em 2006 no Cancer Causes Control. Neles, é comprovada a ligação entre a calvície e a exposição ao sol do couro cabeludo sem cabelo a um risco aumentado de Carcinoma maligno da pele nesse local”, continua.

À MAGG, o especialista diz que o cabelo tem muitas funções — e uma delas é proteger o couro cabeludo. Caso não exista, o aconselhamento médico privilegia a utilização de chapéus e a aplicação de protetor solar. Mas Carlos Portinha refere que, atualmente, a calvície já tem solução.

“Na grande maioria dos casos, o transplante capilar é hoje um procedimento rápido, acessível e muito mais eficaz”, conclui.